A manha tuga de retirar os filtros de partículas


(Three) #21

Esqueces-te do fallout ?


(Three) #22

Estão a surgir muitos casos desses mas as causas não têm nada de misterioso e resultam dos efeitos a longo prazo de factores de riscos bem conhecidos

  • Fumadores passivos que frequentaram estabelecimentos públicos ( discotecas, restaurantes, escolas e muitos outros) onde não era proibido fumar
  • Ambientes com amianto em degradação, típico em edifícios de habitação e escritórios construídos nos anos 60-70-80
  • Partículas de motores diesel em particular em zonas urbanas
  • Exposição a pesticidas nas zonas rurais como o DDT
  • Fallout radioactivo dos testes nucleares na atmosfera dos anos 50-60-70-80

O cocktail é extenso.

Admira-me não serem mais


(Aónio Eliphis) #23

Porque a maioria dos uber são muito mais recentes, e os carros a gasolina são mais baratos. Além disso, repito, a uber tem uma série de carros elétricos (Uber green) a operar em Lisboa e Porto. Já usei vários!

Não, este tipo de dicotomias observam-se claramente nas questões ideológicas clássicas, basta veres a posição dos partidos clássicos nestas matérias, desde o BE/PCP ao CDS.

E se queres ser ambientalista tens de te abstrair da clássica ideologia. Se me disseres que os uber são maus por n motivos, eu aceito, desde que me digas que os táxis são muito piores. É tudo uma questões de coerência argumentativa.

Uma pequena minoria. E acho que nesses o estado andou a subsidiar, coisa que a uber não teve para ter os carros elétricos (uber green).

Não nego, mas acredita que um carro sem filtro no meio da cidade é muito mais perigoso que mil aviões

julgo que as nanopartículas por serem “mais leves que o ar” caem “onde calhar” e não propriamente no meio da cidade.


(Manuel Reis Jorge) #24

Não, isso não é certo. Tambem se fala da poluição dos barcos de cruzeiro: enormes motores que andam com gasõleos “sujos”…


(João Almeida) #25

Acho que estás a confundir a Holanda com Portugal. Hoje mostraram-me estes slides em Roterdão. Em Portugal é precisamente o oposto. 80% diesel e 20% gasolina, apesar dos carros a gasolina serem mais baratos.


(Three) #26

Refaz os cálculos antes de dizeres asneiras

Não são mais leves do que o ar, podem é ser levadas pelo vento mas eventualmente acabam por cair. Esqueces-te de que no corredor de descolagem e aterragem os aviões circulam a baixa altitude com motores no máximo e portanto todas as emissões de partículas caem nessa faixa sem terem tempo de serem espalhadas pelo vento.

Muito pior que gasóleo, usam HFO - Heavy Fuel Oil de elevada viscosidade tem de ser pré aquecido a 40 º C para poder ser bombeado antes da combustão. A 15 ºC tem a consistência de betume.


(José Miguel Ramos Modesto) #27

Gostava de saber em que fonte se foram eles basear para dizer que em Lisboa os barcos poluem mais que os carros… porque todos os estudos que tenho lido nos últimos anos, colocam o transporte marítimo na 3ª posição, atrás do transporte rodoviário (1º) e do aéreo (2º). A não ser que se refiram às emissões totais e não à origem da poluição no centro da cidade… que é o tema que sempre li.

Anyway, já estou a ver uma onda de pessoal a movimentar-se contra o investimento em transportes públicos e de mais espaço da cidade alocado a eles em detrimento do automóvel, usando esta notícia como argumento…


(João Almeida) #28

(Manuel Reis Jorge) #29

Esses barcos tem motores a funcionar 24h/24 e teem acesso aos centros urbanos, como a baixa de lisboa.


(Aónio Eliphis) #30

@drmj100 @Three @jmpa têm de me demonstrar, o que não fizeram, que as pessoas que vivem na cidade, inalam mais partículas de barcos e aviões, do que inalam de carros. E eu acho que é exatamente o contrário. A emissão total de partículas não é o que está em causa, mas a probabilidade de um munícipe médio inalá-las.

@jmpa aqui tens a lista de veículos aceites pela uber. Diz-me quais deles são a gasóleo. Além disso têm todos de ter idade inferior a 7 anos. Fica o repto

https://uber.app.box.com/v/listadeveiculos


(João Almeida) #31

Não tenho nada a ver com a discussão dos barcos ou aviões, apenas partilhei o que tinha lido.

Sobre os Ubers acredito que assim seja, perguntei apenas por desconhecimento. Não vou estar a confirmar, os automóveis se há coisa que não precisam, é de ser defendidos.

Depois falamos sobre ideologias.


(Aónio Eliphis) #32

Não estou a defender automóveis, se há pessoa que os critica sou eu. Mas admitamos que dentro do lixo, um carro elétrico é menos mau que um carro a gasóleo, e um carro partilhado é menos mau que um carro particular.


(João Almeida) #33

@Aonio_Lourenco a Uber até pode resolver melhor problemas de mobilidade ao nível individual, mas colectivamente vai agravá-los. Não passa por eles resolver esses problemas, somente aos políticos.


(Aónio Eliphis) #34

Há duas situações que serão o futuro da mobilidade em automóvel:

  • A) não ter carro particular e usar serviços de carros partilhados
  • B) ter um carro particular que está parado em média 95% do tempo

A) e B) são ambas más, e indubitavelmente que bicicleta ou transportes colectivos são muito melhores que A) ou B). Nunca me demonstraste todavia que A) era pior que B). E aliás, não admites que A) é melhor que B) devido a cegueira ideológica.


(Aónio Eliphis) #35

O óbvio! Nunca disse o contrário! Políticas públicas são levadas a cabo por políticos, mesmo que as mesmas sejam desastrosas. Ora vê a sede de autoestradas e o abandono da via férrea. A responsabilidade é de quem?


(João Almeida) #36

Mas eu quero A) e é o que vai acontecer, não há forma de impedir. A questão é que isso não resolve os nossos problemas. Cegueira ideológica é acreditar que o mercado livre tem uma estratégia fabulosa para proteger o meio ambiente e melhorar a nossa qualidade de vida.


(Aónio Eliphis) #37

Eu nem disse sequer que queria A). Disse apenas que A) era melhor que B). Mas parece pelo menos que concordamos neste ponto.

Desde quando defendi essa premissa? Eu defendo o mercado livre regulado. O segundo adjetivo faz toda a diferença.


(João Almeida) #38

Eu ainda não percebi onde é que discordamos, mas tudo bem.


(Manuel Reis Jorge) #39

Para voltar ao assunto da poluição pelas partículas de fuligem, se o carro a gasoleo ou o aviao polui mais, suponho que deve haver estudos sobre a questao.
Estando ligado directamente ao consumo do combustível fóssil, li agora que um aviao a descolar chega a queimar 400 litros de kerosene ao minuto…:weary:!:grimacing:

Entretanto, podemos saber em tempo real a qualidade do ar que respiramos:
http://airindex.eea.europa.eu/


(João Almeida) #40