Bicicleta roubada: que fazer?

Olá,

Hoje roubaram uma bicicleta a uma amiga minha. Ela pediu-me para divulgar.

Obrigado,

Tiago


Foi roubada na praia de São João, junto ao parque de campismo do INATEL.

Tamanho S, alforges ABUS, que mais informação pode ser relevante?

Roubada hoje, entre as 13h30 e as 14h30.

Estava presa pelo quadro, com cadeado Kryptonite, a um poste de vedação.

1 Like

dizem que na Holanda se assaltam muitas bicicletas mas acho que por unidade em circulação, não deve haver país com mais assaltos que Portugal. Ou talvez seja apenas uma questão de maior exposição da minha parte. Em Portugal o fenómeno é aceite a polícia considera uma questão menor. Quando assaltaram a minha fui à PSP e até parece que o tipo de serviço me estava a fazer um grande favor.

@joaopferreira,
Existe algum guião/processo de documentação a ter para ajudar nas queixas/denúncias às autoridades?
Como fazer em bicicletas sem “documentação”?
Existe alguma forma de “registo legal”?

1 Like

nada de especial, é apenas um formulário geral da polícia. Acreditas que ainda me dei ao trabalho de levar uma foto impressa ao PSP para anexar ao processo, e o tipo responde-me que “não valia a pena”. Mas se alguém roubar ou vandalizar um carro movem logo se for preciso 4 carros patrulha para perseguir os “bandidos”. As prioridades da polícia refletem as prioridades do país, e não, não se trata apenas do valor patrimonial do bem.

Não é isso.

A pergunta é… O que tenho de ter para provar que a coisa era minha? Nomeadamente para bicicletas usadas, compradas em 2amão, herdadas, etc, onde já não há papelada…?

Isto não funciona, certo:
“Roubaram-me a minha preciosa. É vermelha e tem uma campaínha.”

Tomas nota do número do quadro e indica-lo à polícia.

Estou a falar sem saber, mas diria que é como te roubarem outro objeto
qualquer. Se apanharem a pessoa que o tem ela pode alegar que a bicicleta é
dela e aí tens que apresentar provas: testemunhas, fotos, saberes o número
do quadro…

Pois, mas saber o número de um quadro é simples… Basta ir ver quando estiver na rua e dizer que é minha. Até posso tirar foto com a bicicleta no verão estacionada na rua e depois no inverno fazer a denuncia falsa :frowning:
Até se consegue testemunhas…
Se a pessoa for descuidada consigo “provar” que é minha. Certo?
Não há melhor sistema? :frowning:

Só vejo um: ir para tribunal e esperar que se prove a verdade, mas é sempre chato.

Normalmente a fatura serve como prova.

Uma técnica interessante que o @agp10701 me deu, é colocar os teus contactos num papel dentro de um saco de plástico isolado e fechado, desmontares o selim, e colocares esse saco dentro do quadro. Ele diz que num caso que ele teve, foi crucial para a polícia dizer que a bicla tinha sido roubada e para a terem devolvido.

5 Likes

aqui no brasil a policia nao da importancia a roubo de bicicleta, parece que nem existe esse crime no codigo das leis. eu tenho a nota-fiscal de compra com o numero que esta gravado no quadro da bike, escrito nela. nao adianta muito ja sabemos, mas é uma tentativa. li que por aqui foi criado un “site” para registro de bicicletas e anotacao de roubo/furto na esperanca que algun mecanico de bicicletas se de ao trabalho de notar o nº gravado na mesma. sei lá…

1 Like

Não tem a ver com a primeira bicicleta, mas ontem vi isto afixado por aí…

Como não existe esse crime? Em qualquer país do mundo, furto de propriedade privada é crime. Mas é verdade, depois cada cultura encara essa questão de forma diferente.

João Pimentel Ferreira


Enviado do meu Nokia

desculpe eu expressei-me mal: apolicia trata o roubo/furto de bicicletas
com pouca atencao"é como se não valesse o trabalho". talvez se a bike
custar alguns milhares de reais… é claro que é um patrimonio, é calro
que é crime, não importa o valor monetario. mas o cidadao acaba desistindo
tais as dificuldades para registrar a queixa a delegacia de policia. aqui é
brasil…

Em 12 de março de 2015 17:45, João Pimentel Ferreira [email protected]
escreveu:

Eu percebi Fernando :slight_smile:

em tempos roubaram-me a bicla em Lisboa, fui à esquadra apresentar queixa e o chefe de turno só faltou prender-me por estar a incomodá-lo aquelas horas com um assunto tão ‘insignificante’. Até levei fotos da bike para juntar ao processo o que o chefe de turno respondeu ‘não servem para nada’.

A polícia tem mais que fazer, e quer queiramos ou não, uma bicicleta tem por norma um valor patrimonial muito baixo comparado com um automóvel ou uma habitação, sendo o seu valor na maior parte dos casos sentimental, quase como um animal de estimação, logo a solução é um bom cadeado e nunca deixá-la por muito tempo num sítio recôndito.

Abraços

João Pimentel Ferreira


Enviado do meu Nokia

então não há muita diferença entre aqui e ai. outro dia em copacabana,
furtaram uma bicicleta que valia 35.000 reais(cerca de 10.000 euros) e
ficou por isso mesmo. aqui o (des)governo gasta tanto dinheiro nas sua
mordomias e benesses que sobra pouco para educação, saúde e segurança.

Em 12 de março de 2015 21:35, João Pimentel Ferreira [email protected]
escreveu:

gostei do termo “bicla” é uma nova gíria que vou usar aqui ao contrario de
bike.

Em 12 de março de 2015 22:06, jose fernando da silva neves. <
[email protected]> escreveu:

É gíria aqui da tugolândia :slight_smile:
http://pt.wiktionary.org/wiki/bicla

João Pimentel Ferreira


Enviado do meu Nokia

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou nesta terça-feira (2) o projeto de lei que especifica o roubo e furto de bicicletas no estado. O objetivo é incluir o crime nas estatísticas criminais, para que os locais das infrações sejam identificados. O texto tem 15 dias para ser sancionado pelo governador Luiz Fernando Pezão.
O projeto foi levado à apreciação na Alerj após vários casos de roubos de bicicletas com uso de violência. No mais grave deles, o médico Jaime Gold morreu um dia após ser atacado enquanto andava de bicicleta na Lagoa Rodrigo de Freitas, na Zona Sul ,em 19 de maio.
“Da mesma forma que temos roubo a veículo, roubo a celular, roubo a estabelecimento comercial, ele cria o título roubo ou furto a bicicleta. A polícia vai poder conhecer esse fenômeno e vai poder responder a outras perguntas. Onde estão os receptadores? Da mesma forma que combatíamos o roubo de veículos. Hoje as peças das bicicletas são vendidas na internet”.

1 Like

Infelizmente, quando me roubaram a minha bicicleta, o que eu pensava que era o número dela não era… Era apenas o modelo. Assim descrevi todos os danos que ela já tinha, na esperança de ter o máximo de provas que aquela era a minha. Até hoje não apareceu :cry:

Na polícia, fui à esquadra dentro do metro do Marquês de Pombal, trataram-me com todo o respeito e incluíram tudo o que eu tinha: fotografias e factura.

Não existe nenhuma base de dados de bicicletas roubadas em Portugal?

1 Like