Carros verdes são como prostitutos virgens: simplesmente não existem!


(Rui Fonseca) #101

É um facto que os carros elétricos não têm emissões de gases de escape.

Há que ter em conta o contexto. Os carros convencionais têm emissões de gases de escape, logo, quando se diz zero emissões é a isso que se refere.

Qualquer outra interpretação está, obviamente, errada. Refutar uma interpretação errada é uma falácia do espantalho.


(Manuel Reis Jorge) #102

Nem por isso. Em Portugal , a electricidade produzida tem como origem, em cerca 60% , fontes renováveis, nomeadamente éolico.
Agora sim, é mais um carro, tambem ajuda ao congestionamento.


(Aónio Eliphis) #103

Nem os elétricos da Carris e eu não vejo o mesmo frenesim “verde” em torno dos elétricos da Carris.

Não há nada zero-emissões.


(Three) #104

Esse é o mix actual, se os carros eléctricos se generalizarem o consumo adicional de energia eléctrica só poderá ser coberto com produção térmica e lá se vai a vantagem ecológica.


(Aónio Eliphis) #105

O mix em Portugal é este, segundo esta fonte

Ou seja, carros elétricos estão longe de ser uma panaceia


(João Almeida) #106

Não estamos assim tão mal. Na PorData e na APREN tens dados mais gerais.


(Aónio Eliphis) #107

Hiperligação?


(João Almeida) #108

O que conta é este (consumo de energia primária):

https://www.pordata.pt/Portugal/Consumo+de+energia+primária+total+e+por+tipo+de+fonte+de+energia-1130

Infelizmente não está em percentagem e não especifica a quantidade de renováveis no pârametro “Electricidade (saldo Importador)” (mas a contribuição desta fonte também não é muito relevante).

Focando na produção eléctrica, temos isto:

https://www.pordata.pt/Portugal/Produção+de+energia+eléctrica+a+partir+de+fontes+renováveis+(percentagem)-1232


(Manuel Reis Jorge) #109

Cuidado em nao confundir energia consumida com a electricidade produzida , duas coisas bem diferentes. Num carro electrico que se liga a rede electrica, interessa é a origem dessa electricidade.


(João Almeida) #110

O que conta é o total de energia primária consumida, não é por passares a ligar o carro à rede eléctrica que vais consumir menos energia de origem fóssil (excluindo obviamente os ganhos na eficiência energética dos carros eléctricos e possíveis optimizações na rede se por exemplo carregares as baterias durante a noite).


(Manuel Reis Jorge) #111

Fonte de Energia Primaria exactamente daí o interesse das energias renovaveis: a fonte é quase gratuita pois é o sol o vento e a chuva.
Apenas custa a construçao e o transporte.


(Manuel Reis Jorge) #112

Ao oposto temos o veiculo que usa combustivel fossil que é preciso extrair transportar e pagar para ser utilizado num motor que vai apenas utilizar 30% max dessa energia aqui fossil para fazer avançar o carro o resto perde se em calor…


(Aónio Eliphis) #113

Não é, nem perto! Tens de construir as turbinas e fica caro, principalmente a solar. Repara que não digo que não se deva investir nas renováveis, deve-se, mas devemos evitar esse discurso que o sol e o vento são de borla. O petróleo que está no subsolo também é de borla. Só é preciso extraí-lo. E para o sol tens de comprar painéis.

Mesmo que consideres apenas o mix energético da rede elétrica, e podemos ir por aí, visto que o carro elétrico consome apenas electricidade da rede, o mix energético não é assim tão positivo. E estás-te a esquecer de uma parcela tão importante quanto a locomoção: o fabrico do carro. Onde é feito o carro? Qual o mix energética da rede elétrica onde o carro é feito?


(Aónio Eliphis) #114

Tenho um gráfico em Português :slight_smile:


(João Almeida) #115

Já encontrei do bus eléctrico, podes acrescentar:

“The study focuses on a pilot project for California’s Foothill Transit, in which 12 Proterra e-buses logged nearly 400,000 miles of on-road testing. The NREL team found that the battery-electric buses (or BEBs, in bureaucrat-speak) demonstrated average efficiency of 2.15 kWh per mile, which translates to about 17.48 miles per diesel gallon equivalent (DGE). The NABI CNG buses used for comparison had an average fuel economy of just 4.51 DGE.”

https://chargedevs.com/newswire/nrel-report-battery-electric-buses-are-four-times-more-fuel-efficient-than-cng/


(João Almeida) #116

O solar fotovoltaico já é a fonte de energia mais barata em muitos países:

Mas a verdade é esta: “Saving energy is still cheaper than making energy.”

“Energy efficiency investments aimed at reducing energy waste cost utilities two to five cents per kilowatt hour (an average of about three cents), while generating the same amount of electricity from sources such as fossil fuels can cost two to three times more. It isn’t a surprising result that energy efficiency continues to stack up as the lowest-cost resource.”


(Manuel Reis Jorge) #117

Muitos atalhos e confusões: estamos a falar de eficiencia energética ou de produção de electricidade?
Eu estava a comparar a eficiencia e o custo entre um carro electrico e um a motor a combustão , neste caso não ha duvidas.
Na produção de electricidade dizer que as renováveis são bem mais caras…é ridiculo.
Por fim concordamos todos com o ditado que um KW não gasto é o melhor KW produzido.


(João Almeida) #118

Vou tentar explicar-me melhor. Ao longo do tempo de vida de um automóvel (incluindo produção, utilização, reciclagem), um carro eléctrico pode produzir mais CO2 que um carro com motor de combustão:

Tudo vai depender do mix energético do país em que ele é produzido, utilizado e reciclado.

Para simplificar, vamos admitir que o ciclo de vida decorria inteiramente em Portugal. Temos de contabilizar o mix de energia primária que é consumida no país, não o mix da produção eléctrica, porque nós já utilizamos toda a renovável que produzimos. Portanto, ao substituires um carro a combustão por um eléctrico, apenas vais utilizar o combustível que não metes no depósito para gerar a electricidade que ele vai gastar. Não vai surgir mais eletricidade renovável do nada. O mix de energia primária mantém-se inalterado, o mix de produção eléctrica passa a ter mais combustíveis fósseis. Por isso é que o mix de energia primária consumida é que importa.

Obviamente que estou ignorar o facto de um carro eléctrico ser mais eficiente que um carro a combustão. Mas a vantagem não é assim tanta em termos de emissões. Claro que a poluição sonora e atmosférica nas cidades é bem diferente.


(João Almeida) #119

Já agora, apesar do solar fotovoltaico ser o futuro da energia nos próximos tempos (por ser mais barato e provavelmente ser a tecnologia com menor impacto ambiental), a história também não é assim tão simples:


(Manuel Reis Jorge) #120

Deixo essa argumentação mais que duvidosa aos lobbyistas do petróleo.
Eles adoram criar essa confusao para manter a situaçao como está.