Cheiro corporal


(Sérgio Loureiro) #1

Boa noite.

A bicicleta como meio de transporte é muito fixe, mas tem um problema horrível, sobretudo nos dias de calor: Fico a cheirar a uma mistura de suor e bedum que é coisa feia.

Como é o meio mais eficiente que tenho para ir de casa para o trabalho e lá não tenho chuveiro, gostaria de receber aconselhamento.

1- O que devo fazer quando me acontece?

2- Como posso prevenir?

Obrigado desde já.


Onde guardar a bicicleta durante o dia de trabalho?
(Alexandre Climber) #2

Desodorizante e trocar a camisola interior no wc…

Eu felizmente raramente transpiro…

A sábado, 30/03/2019, 01:12, Sérgio Loureiro via Fórum da MUBi [email protected] escreveu:


(Cláudio Coelho) #3

Olá!
Podes usar umas toalhitas para limpar o corpo ou então uma toalha com água e sabão. O deo é obrigatorio!


(Sérgio Loureiro) #4

Que tipo de deo? Já andei a experimentar vários e não tenho tido resultados positivos! :frowning:


(Cláudio Coelho) #5

Isso varia de pessoa para pessoa, pele para pele.
O que te posso garantir é que se antes de saíres de casa, tomares um banho, consegues apenas usar as toalhitas quando chegares e o deo, passas bem o dia.


(Manuel Garcia) #6

No meu caso tenho a sorte de ter ginásio perto do trabalho o que facilita a questão do banho.
Inscrever num ginásio perto pode ser uma hipótese.

Não sendo possível, para além das dicas que já se escreveram aqui posso acrescentar a gestão do ritmo.
Se for uma distância até 10km e não houver subidas significativas, diria que é possível ir a um ritmo mais suave e assim evitar transpirar.
A pedalar temos sempre a deslocação do ar que ajudar a refrescar. Por vezes transpiramos mais quando paramos de repente, porque o corpo ainda está em ritmo acelerado mas já não temos o vento. Por isso antes de chegar ao destino pode-se fazer o “cool down” ainda a pedalar reduzindo ainda mais a intensidade aproveitar a deslocação do ar.
Alforge em vez de mochila também ajuda na transpiração.
Se houverem subidas significativas utilizar bicicleta eléctrica pode também ser uma opção a considerar.


(António Miguel Martins de Carvalho) #7

Muito bem descrito.
Acima de tudo depende do nosso ritmo e tempo que nos damos para chegar ao destino (ja que nao temos trânsito).

Não pode haver pressa de chegar ao destino. Gestão do esforço é a palavra de ordem.

Em subidas, uso precoce das mudanças mais leves e esforço.

Por último, com a perseverança, a condição física melhora.