Ciclovia na guerra junqueiro - precisamos de votos


(David Vale) #1

Viva

A associação de residentes do areeiro promoveu uma sondagem sobre a criação de uma ciclovia na guerra junqueiro. Vai à frente a opção de Não fazer, com apenas 50 votos.

Se achas como eu que deve haver uma ciclovia no sentido ascendente, vota em:

opção:
Ciclovia ascendente (1 m) e uma via partilhada (sentido único) descendente (é uma opção mais económica)

Obrigado!


(Nuro Carvalho) #2

Mas só dá para votar quem pertence ao grupo?
E a votação serve para quê?


(António Pedro Figueiredo) #3

Para mostrar que nem so os moradores tem que decidir sobre um eixo que serve varios trajectos urbanos. Vota!


(José João Leiria Ralha) #4

Já fechou, foi enviado como um quase empate técnico… No fim, consegui convencer o administrador do grupo da bondade de uma faixa contrafluxo. Digamos que roubar 800 m2 aos peões para manter 200 m2 de estacionamento (20 lugares), fazendo duas pistas unidireccionais no passeio (a hipótese mais votada das ciclovias) era o maior dos absurdos…


(António Pedro Figueiredo) #5

ok mas podiamos criar uma sondagem nossa a mostrar a importância desta ligação no contexto local da cidade. Nem só os moradores estão interessados naquela rua.

Depois podiamos divulgar para dar o sinal à CML que é importante estabelecer a ligação e que a comunidade ciclista está atenta


(Aónio Lourenço) #6

“votos” no facebook? Sorry, I’m out!


(David Vale) #7

Na realidade, também detesto esta forma de ‘democracia’. O que é certo é
que a CML se influencia pela mesma e nós ficamos a ver passar navios… ou
melhor a passar carros…

Acho que sendo da MUBi (mobilidade urbana em bicicleta), devíamos todos ser
mais solícitos a apoiar a criação de ciclovias, sejam elas onde forem, e no
quadro democrático que seja.

Uma opinião do ACP é sempre de peso, mesmo que seja só o presidente a
tê-la. Nós parece que adoramos discutir uns com os outros, mas a ação
concreta deixa muito a desejar, não conseguindo sequer ser solidários
relativamente a uma iniciativa onde um grupo de 50 ou 60 pessoas vão
conseguir passar a deles avante (nada de ciclovia numa rua onde diariamente
vários ciclistas andam em contramão), numa suposta representatividade dos
moradores de uma freguesia onde residem vários milhares de pessoas.

Desculpem-me o desabafo, mas estes comportamentos são recorrentes aqui na
MUBi e a mim cansam-me…

Abraços
David

Aónio Lourenço forum@mubi.pt escreveu em qua, 7/02/2018 às 19:46 :


(Pedro Nóbrega Da Costa) #8

custa me esta forma de "democracia"
a democracia foi feita no dia das eleicoes.

ja se conhecia o programa e objetivos do medina/ps, que muito buzz nos media gerou, e ainda assim ganhou.
isto, e qualquer ciclovia que venha nos proximos 4 anos é apenas a continuação dos ultimos 2 anos e do programa que, goste se ou nao, lhe deram a vitoria

acho incrivel que meia duzia de moradores se achem no direito de se acharem a maioria e invocarem “democracia” quando houve eleicoes ha menos de 1 ano e quando este tipo de obras é o que se espera que seja feito com base no programa anunciado… é que isto nem é o caso em que prometem uma coisa e fazem outra.


(Pedro Sanches) #9

Concordo. Só que é preciso ter presente que, por vezes, esta “meia dúzia de moradores” consegue fazer algum lobby que vai alterar os projectos iniciais. Lembro-me mais recentemente do que aconteceu nas Avenidas Novas com as alterações das ciclovias da Fontes Pereira de Melo e da Av. da República. Bem sei que não terá sido exclusivamente por isso, mas todas aquelas reuniões das comissões de moradores devem ter, pelo menos, feito algum ruído que ajudou às alterações ao inicialmente previsto.


(Pedro Nóbrega Da Costa) #10

sim mas antes das eleicoes ainda dou o desconto…

o medina nao tinha ainda sido eleito, foi a primeira ciclovia feita que afetou a serio a principal zona da cidade e que os media atacaram em força, sabendo que as eleicoes estavam à porta e a margem para erro e publicidade negativa era minima, sendo que até a construcao dessa ciclovia os ciclistas ainda eram vistos como sendo uma miragem (lembrem se do video do PSD onde contaram 5 bicicletas em 5 dias… segundo eles…)

agora depois dessa ciclovia ter sido feita, com o aumento visivel de ciclistas a olho nu que ja é impossivel negar, depois de se conhecer bem os objetivos do programa apresentado por ele e de ter sido eleito sabendo qual o seu programa, ja nao ha argumento nenhum para se acobardarem, ainda mais quando têm 4 anos pela frente para provar

em relacao a guerra junqueiro, acho que nem é objetivo deles fazer isso para ja, pelo menos o que aparece no site do “pavimentar lisboa” é apenas intervenção de 1 semana para colocar novo pavimento
se fosse ciclovia diria que durava mais tempo e diziam… até hoje em todas as obras do pavimentar lisboa em que fizeram ciclovias vinha lá bem explicito isso


(António Pedro Figueiredo) #11

mas já foram lá votar ou nao?


(Joao Pedro Barreto) #12

Na verdade, em relação a este assunto, a democracia foi também feita no Orçamento Participativo de 2014, onde esta proposta foi uma das vencedoras:

Não consegui encontrar o nº de votos, mas certamente foram mais que o nº de respostas ao tal inquérito no facebook.


(António Pedro Figueiredo) #13

Preparei isto.
e partilhei no meu FB


(David Vale) #14

Boa, informação útil para a discussão!

Não seria de colocar a infografia no site da MUBi?


(Aónio Lourenço) #15

Bem, o @jpbarreto já referiu que o projeto até ganhou o OP Lisboa, logo há legitimidade democrática para se fazer, ademais, se acharem que não chega, façam uma petição pública a insistir na referida proposta, que votarei, e, julgo, que muitos daqui também votariam.


(Pedro Nóbrega Da Costa) #16

entretanto todo o ruido começou pelos “vizinhos” acharem que a ciclovia ia para a frente sem aviso o que acabou por nao se concretizar, já que como indicado nos panfletos da CML, a intervenção foi apenas pavimentação da rua.
ainda hoje la passei, a rua ja esta aberta, sem alterações, sem ser que a faixa de circulacao tem alcatrao novo em cima do velho

acredito que seja ideia deles meter ali a faixa de contrafluxo como esta no mapa das ciclovias projetadas, mas ainda nao foi desta.


(rosa felix) #17

Só agora vi este post, e portanto já não fui a tempo de votar ou de partilhar.
Isto vem ainda de uma proposta vencedora do OP 2014, com 201 votos - o dobro deste “referendo local”.

No referendo propunha-se uma ciclovia de 1m de largura?? :astonished:
O mínimo devia ser 1,50m sem contar com buffer de segurança (80cm).

completamente de acordo.


(Herculano Rebordao) #18

Chego-me a informação de que não se fará a ciclovia e permanece tudo na
mesma.


(Pedro Nóbrega Da Costa) #19

a obra feita nao contemplava ciclovia nenhuma… estava bem explicito no papel que distribuiram que era so alcatroamento (e nem foi alcatroamento completo, foi so da faixa central com alcatrão em cima do antigo… as faixas de estacionamento continuam com o piso antigo).
tambem dizia logo que o prazo de execução era menos de 1 semana, se fosse para fazer ciclovia certamente seria mais.

os “vizinhos” é que viram no mapa de ciclovias projetadas a ideia de fazer ali uma, e ficaram a achar que a CML ia fazer a ciclovia ja apesar de no papel nao dizer nada e que estavam a tentar esconder etc. e tudo o resto nasceu desse “achar”

mas como se ve tambem aqui, nao se fala em ciclovia nenhuma:
http://www.cm-lisboa.pt/pavimentar-lisboa/detalhe/info/avenida-guerra-junqueiro

em todas as ruas que tem feito ciclovias, a CML Tem sempre posto ai no site que as vao fazer e também nos folhetos que entrega na zona, portanto nao foi nenhum “voltar atrás” foi simplesmente algo que ainda nao era para fazer… os vizinhos é que gostam de fazer ruido sem saber tal é o medo de perder 20 lugares de estacionamento


(Joao Pedro Barreto) #20

Vi esta foto partilhada há pouco no facebook:

Alguém sabe como ficou a sinalização vertical em cada topo da rua?