Ciclovias em Castelo Branco

Já não voto em CB, mudei de residência, como o pessoal tende a focar-se na zona litoral. Penso que algumas pessoas que trabalham na câmara deviam ir de sabática paga para algum local onde as ciclovias são usadas em termos práticos, especialmente qd referem “mobilidade sustentável”.

A mudança da cor da ciclovia. Suponho que é o mais importante da notícia, pois a de Alcains é bordô e fica numa variante, ocasionalmente usada para estacionamento, pelo que não tem grande uso prático para ir a algum lado, ou seja cicloturismo. Na foto do artigo, está uma rua com 2 faixas de rodagem num só sentido ascendente. Zona de atropelamentos, especialmente em frente ao celeiro onde há escritórios.
É mais uma ciclovia a circular o centro da cidade, ocupa o espaço do peão, que mesmo quando lá residia ainda não me serviria para me deslocar do eixo centro/zona-industrial. Servirá de pista de atletismo, pois eu próprio praticava nesta rua há uns anos. Já os ditos estacionamentos não são tão importantes do meu ponto de vista, quando há sinais verticais que estão melhor presos ao chão.

De um colega do FB vi os trabalho do novo parque que estão a elaborar. Vão fazer uma ciclovia, já estou a imaginar um trajecto circular…, fica no meio de avenidas-auto-estrada, rodeadas por zonas residenciais sem qq semáforo. Onde há excesso de velocidade e até passadeiras mal feitas… Ou seja para aceder ao parque a pé é necessário atravessar as 6 faixas de qualquer lado.

Há uns meses houve a intenção de por uma ciclovia numa rua principal da cidade onde há estacionamento dos 2 lados. Foi o fim-do-mundo. Há um CC, Escola Secundário e o Hospital e que deriva do eixo do centro. A reacção dos moradores e mesmo os jornalistas é a que se vê. Não é que falte estacionamento mas a maior parte destas pessoas deslocam-se de carro em distâncias inferiores a 3Km.

2 Likes

Sempre a mesma conversa… só mudam as coordenadas.

Os moradores, os logístas, os clientes, os alunos, docentes e funcionários do Politécnico têm de ir de carro e de mota. Não passa pela cabeça de ninguém poderem ir de bicicleta. Porque lá está, quem compra, quem vende, quem estuda e trabalha não o faz de bicicleta. Bicicleta é só para passear ao fim de semana.

Bem-vindos a 1991.

3 Likes

Falta alguma sensibilidade na população. Fizeram algo semelhante à campanha de Lisboa, dão dinheiro para comprar bicicletas, houve publicidade, mas que pelo que observei numa loja, muitas são vendidas orientadas para lazer (prática de BTT/Ciclismo). Infelizmente vendidas sem qq campanha de informação relevante ao residente. Podiam fazer a promoção da usar a bicicleta para deslocações segura, úteis e regras e equipamento de segurança básicos (materiais que já existem na maior parte dos casos) com uma brochura adicional da CM. Exigir acessórios na bicicleta e ver os rendimento dos agregados.

Não encontrei melhor local, por isso deixo aqui a referência… No JN de hoje 2021.08.15