Comunicação na estrada

De há uns anos para cá tenho vindo a utilizar uma comunicação gestual com os condutores que me parece simples, eficaz, universal. E, sobretudo, pedagógica.

  1. Agradecimento - quando me ultrapassam dando uma larga margem de segurança, ou reduzindo a velocidade e aguardando serenos por uma aberta - levanto o braço, mão aberta palma para a frente, em saudação.

2 - Sugestão - quando me ultrapassam sem darem espaço de segurança - aguardo até aparecer no seu espelho retrovisor e faço o gesto que se vê na foto: dedos em chave inglesa e estendo o braço para fora; volto a flectir e a estender para melhor compreensão.

3 - Vigoroso protesto - quando fazem uma razia - levanto o braço de dedo indicador :wink: em riste e faço o gesto de “Não Não” com vigor, irritação e muita adrenalina a bombar. Logo de seguida, faço o gesto da chave inglesa (ou francesa, nunca sei) várias vezes.

O que verifico é que esta comunicação - se nada resolve nos casos de “fait accompli” - é sobretudo muito pedagógica, porque bem visível, para os condutores seguintes. Isto é, constato com frequência que as ultrapassagens seguintes a uma admoestação/ indignação são mais espaçosas, calmas, seguras.

Utilizei este sistema durante alguns anos na Marginal de Cascais, agora nas estradas municipais na zona Oeste. Estou convicta da sua bondade e por isso aqui a partilha.
Ignorem por favor os outros pormenores da foto, foram precisas várias tentativas para se conseguir algo legível; os meus agradecimentos à minha filha.

11 Likes

não costumo agradecer, mas por vezes sai (um pouco como agradecer quando um carro passa na passadeira para nos deixar passar a pé

mas protestar é normal, mas com outra simbologia eheh, mas essa é boa!
não tenho ideia de surte efeito em quem vem depois, mas em quem faz talvez tenha algum
(por acaso o ultimo foi mesmo quando ia a pé e não me cederam passagem no verde, o condutor não gostou e ficou a debater que eu tb tinha de olhar, como fiz claro, e parei, se não tinha-me acertado. esse como ficamos parados a “falar” acho que teve efeito em quem estava à volta (:

Eu por vezes faço o polegar :+1: para comunicar positivamente a que procedeu corretamente mas também a que vêm atrás ou está na mesma interacção. Casos: ultrapassagem correta, ceder-me a passagem em locais complicados (eu a virar à esquerda, sair de áreas cicláveis/ pedonais, etc).

Em ambiente urbano quando tenho BUS em preparação de ultrapassagem faço o sinal a pedir afastamento. Isto já deu para conversa com motorista quando uma vez apanhei um TUB: “é você que costuma ir de bicicleta na rua tal…” e claro, aproveitar para falar sobre o tema.

Enfim, lembrar o que deve ser feito e o reforço positivo do que é bem feito.