Construção de Ciclovia na Avenida dos Combatentes

Estado actual da Ciclovia da Avenida dos Combatentes:

Já tem semáforos a funcionar em quase todos os lados e o piso parece-me estar todo pavimentado. :slight_smile:

No entanto ainda lá estão duas barreiras New Jersey, uma um bocadito acima da Praça de Espanha e outra mesmo na ponta Norte, perto do cruzamento com a Av Lusíada.

No entanto, ia fazendo asneiras por causa de um jogo de semáforos que não está correcto e que achei por bem reportar a situação o quanto antes no portal Na Minha Rua:

OCO/173349/2020
Problema detectado hoje.
O semáforo para bicicletas no extremo Norte, para quem vem a subir para Norte na Av. Combatentes está de face para o lado errado, pois está a emitir a luz na direcção da Universidade Católica em vez, de como deveria ser, estar a apontar de frente para a Ciclovia. Este é o problema principal.
No mesmo poste de semáforos tem um jogo de luzes mais acima, que actualmente está tapado com um saco de plático preto à volta, que deduzo que esteja a apontar na direcção correcta. Mesmo assim parece-me estar numa posição demasiado alta para que uma pessoa que pedale na ciclovia o consiga ver claramente. É um problema também, mas poderá ser deixado para segundas núpcias se o principal for resolvido.
O descrito é uma situação perigosa, sobretudo para quem lá passar pela 1. vez, e deverão ser muitas pessoas, dado que apesar da Ciclovia não estar definitivamente aberta, já tenho visto lá muita gente a circular.

1 Like

Já responderam à minha intervenção:

from: [email protected]
to: me
date: 16 Nov 2020, 09:46
subject: NAMINHARUALX - Ocorrência nº OCO/173349/2020

Caro Munícipe Sérgio Loureiro,

A Câmara Municipal de Lisboa agradece o seu contacto e informa que a Ocorrência OCO/173349/2020 com os seguintes dados, foi encaminhada para a entidade Soltrafego externa à Câmara Municipal de Lisboa, para resolução desta matéria.

Ocorrência: Estradas e Ciclovias - Semáforos - Manutenção
Data de Entrada: 14-11-2020
Local: Avenida dos Combatentes
Freguesia: Alvalade
Ponto de Referência:
Descrição: Problema detectado hoje. O semáforo para bicicletas no extremo Norte, para quem vem a subir para Norte na Av. Combatentes está de face para o lado errado, pois está a emitir a luz na direcção da Universidade Católica em vez, de como deveria ser, estar a apontar de frente para a Ciclovia. Este é o problema principal. No mesmo poste de semáforos tem um jogo de luzes mais acima, que actualmente está tapado com um saco de plático preto à volta, que deduzo que esteja a apontar na direcção correcta. Mesmo assim parece-me estar numa posição demasiado alta para que uma pessoa que pedale na ciclovia o consiga ver claramente. É um problema também, mas poderá ser deixado para segundas núpcias se o principal for resolvido. O descrito é uma situação perigosa, sobretudo para quem lá passar pela 1. vez, e deverão ser muitas pessoas, dado que apesar da Ciclovia não estar definitivamente aberta, já tenho visto lá muita gente a circular.

Obrigado pelo seu contacto.

Com os nossos melhores cumprimentos.

2 Likes

Ontem passei lá. Mais uma vez comprovo a estupidez que é o desenho desta ciclovia. Não sou contra a ciclovia, sou é contra maneira como foi lá plantada.

Ontem quis ir para os lados Mercado do Rego, tomei a dita Ciclovia e na intersecção tem os tapumes a não deixar passar. Não há passadeiras, semáforos, ou qualquer outtra coisa que consiga deixar um não-automobilista com sentimento de sgurança a andar naqule ponto da avenida.

A minha solução? Parar, esperar que não houvesse carros na “via rápida”, e muito rapidamente fazer voar a bicicleta por cima dos tapumes, montar na bicicleta e atirar-me de cabeça a pedalar para a saída à direita para a Rua Cardeal Mercier. Peito aberto e faca nos dentes.

Fiz o que tinha a fazer, voltei para a Avenida dos Combatentes em sentido a Norte, pela Rua Marques Júnior. Outra vez acesso barrado por tapumes e inexistência de atravessamento seguro. A minha solução foi, seguir até à ponta Norte pela via dos carros mais à direita.

:angry:

Sendo assim, faz algum sentido existirem sinais de obrigação de circular no ciclovia ali, dado que há pontos onde a ciclovia é inacessível?

Foi assumido desde o início pela CML que esta ciclovia seria um “túnel”, como eles lhe chamaram. Ou seja, permitir-te-ia entrar numa ponta e sair na outra, sem saída ou entradas a meio.

Não mexendo no perfil da avenida, não havia outra forma de o fazer garantindo a segurança dos utilizadores. Intersecções com este tipo de perfil são um atentado.

Se me disseres que deviam ter reperfilado, concordo contigo. Aquilo é uma autoestrada urbana. Mas parece-me que o objetivo, desde o início, e com as obras da Pç. de Espanha, é pôr o trânsito automóvel a fluir. Obra para escoar carros, e não entupir aquilo tudo. Havia outras formas de o fazer? Havia. Mas não tendo sido feito, não é possível ter saídas e entradas para a bicicleta no meio de uma autoestrada.

Há uma solução possível que daria acesso do “túnel” da Avenida dos Combatentes à Rua Filipe da Mata, e daí ao bairro do Rego e à Rua Cardeal Mercier — fazer uma rampa entre os dois viadutos (à semelhança das escadas para peões que já existem de cada um dos lados).

4 Likes

Essa é uma solução que não coloca a bicicleta em conflito com o automóvel a N x 50 km/h. Podíamos pensar em propô-la.

2 Likes

Foi o senhor vereador que me deu a ideia, embora estivesse a falar de outro sítio… É justificável pela quantidade de equipamentos que há aqui em baixo nesta zona: mercado, piscina, escola D. Pedro V: permite um acesso facilitado à Praça de Espanha.

4 Likes

Qual era o outro sítio?

Avenida Lusíada -> Estrada da Luz

2 Likes

Avenida Lusíada —> Laranjeiras?
Avenida Lusíada —> Alto dos Moinhos?

Muitíssimo mais complexo, já que os viadutos aí são de betão maciço sem espaço no meio. Esta nos Combatentes seria canja.

É a resposta à pergunta que eu fiz ao @jjleiria? Creio que não.

Pois a mim tambem me dava jeito um acesso ao bairro do Rego em vez de passar todos os dias no tunel do Rego que não é nada confortável para uma bike.
Mesmo agora nestas obras colocaram uma faixa “de aceleração” para quem sai da Santos dumont e entra na “autoestrada”.

Parece me uma soluçao interessante :slight_smile: mas por causa do declive nao ser muito acentuado,nao ira ocupar muito area de implementacao?

A sexta, 27/11/2020, 10:34, José João Leiria Ralha via Fórum da MUBi <[email protected]> escreveu:

2 Likes

Também pensei o mesmo, e outra coisa, que pela fotografia vi, e me deixou apreensivo, era saber se o tal acesso ia parar a porto seguro, sobretudo para quando se sai a descer, pois aí é uma estrada e um parque de carros.

Fazê-lo ir parar ao passeio é barrar completamente uma travessia pedonal e tornar as bicicletas que descem uma arma contra os peões (agora estou a ouvir vozes da Paula Texeira da Cruz na cabeça! Pudera!).

E também deverão querer preservar a possibilidade de lá circularem veículos com altura até 4 metros. O que não combina muito bem com uma rampa com declive adequado para circulação em bicicleta.

Parece muito bonito na teoria, mas não estou a ver como se implementa na prática.

Deixem a resolução desses problemas para um arquitecto :man_shrugging:

1 Like

Só para dizer que passei lá hoje e já tiraram o tapume no extremo Norte :slight_smile: Portanto já está toda aberta.

Entretanto na Praça de Espanha também já se circula de ponta-a-ponta em ciclovia, da Av. dos Combatentes até onde começa a rua Professor Lima Basto, apesar de ainda serem visíveis lá obras. Podem contar com peões na Ciclovia, pois o que não está pronto aí são os passeios.

Entretanto andam a fazer obras na Lima Basto, mas não consegui perceber o quê concretamente.

2 Likes

São obras de fundo e ciclovia até Sete Rios, que vai depois ligar à pop-up da R. Condes de Almoster.

4 Likes

Requalificação do espaço público na Rua Professor Lima Basto
A Câmara Municipal de Lisboa e a EMEL iniciam obras de requalificação, com início na terceira semana de novembro e a duração estimada de oito meses.

  • Requalificação das passagens para peões, com rebaixamento dos passeios e pavimento tátil;
  • Revisão da sinalização;
  • Renovação da iluminação pública e mobiliário urbano;
  • Melhoria das condições de drenagem da rua;
  • Nova área pedonal, com bancos e plantação de árvores, na interseção com a Avenida Madame Curie, junto à entrada do Instituto Português de Oncologia;
  • A praça de táxi debaixo do viaduto será relocalizada na praça junto ao terminal de Sete Rios;
  • Circulação entre a Rua Doutor António Granjo e a Avenida Madame Curie passa a fazer-se apenas no sentido Praça de Espanha, mantendo o estacionamento longitudinal;
  • Construção de ciclovia bidirecional ao longo da rua, que ligará o Terminal de Sete Rios e a Praça de Espanha;
  • Instalação de novas estações de bicicletas partilhadas GIRA.
2 Likes

ha planta de como vai ficar?
visto que a rua nao e larga, provavelmente vao ter de remover estacionamento, ja estou a ver a oposicao a usar o IPO como argumento contra isso

@Pedro_Nobrega_da_Cos

Memória Descritiva do Projecto de Execução da Lima Basto:

.archivetempPLB-PE-MDJ.pdf (2.4 MB)

3 Likes