Corredor Verde de Alcantara


(Pedro Sanches) #21

Não. Mas para isso precisas do passe pago porquê?


(Three) #22

Suponho que o passe será pago a quem não usa o parque, o que é uma ideia bastante boa


(José Miguel Ramos Modesto) #23

Ya ya, deve ser o caso de duas pessoas da minha equipa… onde tudo o que separa as suas casas do local de trabalho é uma (e uma só) linha de comboio, outra tudo o que existe entre casa e trabalho são duas linhas de metro, e outra mora a 1 linha de metro do trabalho. E sabes em que veículo pegam todos os dias de manhã? Pois… e novamente a história das zonas rurais a 30 e a 50 Km de Lisboa… a conversa é sempre a mesma.


(Three) #24

Pois, a conversa é sempre a mesma para quem não sabe distinguir situações e estupidamente enfia todos no mesmo saco! Se calhar sou mentiroso, não ?


(José Miguel Ramos Modesto) #25

Não. Ora essa. Os meus colegas é que vivem todos no distrito vizinho. Mentirosos são eles!
Estes e alguns amigos que também tenho, que dizem viver também com linhas de metro (alguns, mais uma vez, uma só linha) entre eles e o trabalho, são todos mentirosos, porque é óbvio que não vivem onde dizem (e quando me recebem nessas casas, deve ser a casa de algum conhecido que lhes emprestou)!
Toda a gente sabe que ninguém vive em Lisboa. E que não se usam carros em zonas bem servidas de transportes públicos.
Oh oh! Essa é que era boa!


(Three) #26

Seria uma boa oportunidade para perceber porque razão apenas os residentes da AML têm direito aos passes com preço reduzido deixando de fora os residentes da região Oeste por exemplo…


(Pedro Sanches) #27

Já temos tinta!


(António Santos) #28

Eu sei que há (ou antes imagino que há porque nunca vi um estudo sério) situações complicadas. Tive colegas que foram morar para Santarém a trabalhar em Lisboa. Comboio quase porta a porta e depois a empresa deu-lhes carro de serviço (ilusão de melhoria salarial) e passaram a vir de carro. Mas “a cidade” não pode ser funcional a pensar nestes casos particulares, Uma mãe ou pai que trás o filho de longe para uma escola perto do trabalho (uma razão multo propagada) está a cometer duas falhas. Criança a levantar-se mais cedo e a obrigar ao uso do carro. Porquê? Porque todas a situação foi “resolvida” a pensar no facilitar estas opções. Depois à facilidade o comodismo é um passo.


(Three) #29

Pois claro, a cidade deve excluir estes casos afinal essas pessoas devem ficar onde vivem. A culpa é delas por terem sido despedidas ou por a empresa se ter relocalizado. Tudo deve ser feito apenas para os Lisboetas apesar dos empregos lá se concentrarem cada vez mais, os outros que se lixem, não é verdade ? Bocas que quem tem a barriga cheia!

Existe uma lógica óbvia, horários. Não existe qualquer falha, quem vai buscar o miúdo à escolha no horário de saída em Santarém? Vais tu ?

Fácil falar quando os problemas são dos outros ! Não existe facilitismo nenhum nesta situação e esses comentários apenas denotam desconhecimento completo da realidade!


(António Santos) #30

Não costumo responder a anónimos. A minha opinião é minha e não tens que a criticar. Dá a tua e fica com ela que eu não tenho nada a opor. Se tenho a barriga cheia nunca foi de comida paga por ti. Ao fim de 46 anos de trabalho não tenho que me justificar ainda por cima a gente que não conheço. As pessoas são livres de fazerem as suas opções. Não queiram é que depois os outros as paguem.


(Three) #31

Arrogantes assim o dizem. O anonimato concede protecção de radicais como tu!

A partir do momento que a tornas pública estás sujeito a críticas, gostes ou não.

De forma análoga tens muito menos direito a criticar a forma de vida de pessoas que desconheces.

Lá vem o discurso urbano do costume como se os lisboetas pagassem as infraestruturas que equipam a cidade mas que são na realidade pagas por todos os Portugueses contribuintes. Novamente, barriga cheia à custa da periferia!


(Gonçalo Peres) #32

Já estou a imaginar a malta que vem a descer começar a fazer “corta-mato” :wink:


(Manuel Reis Jorge) #33

Ja temos ponte. Falta o tûnel…


(Manuel Reis Jorge) #34

m


(Manuel Reis Jorge) #35

pParque da bela flor


(Nuro Carvalho) #36

@romaosl, mete o teu vídeo


(Rui Martins) #37

não sei avaliar se a obra parece estar bem ou mal projectada, mas se estiver bem feita vai ser um grande salto na mobilidade em bicicleta… Seguir de Alcântara à P. de Espanha sem muitas voltas para tornear o desnível é fixe…


(Manuel Reis Jorge) #38

Globalmente parece uma obra bem projectada . Teve as contingencias de ser a ultima a chegar e ter de achar espaço neste eixo repleto de vias rápidas e linhas de comboio.
Espero que a vegetação cresça rápido para poder haver barreira vegetal entre tanta estrada e comboio.


(PG) #39

Este projecto parece muito bom, espero que as coisas corram bem de forma a terminar “em março” como dizem as últimas notícias…

Ou, já a contar com as derrapagens, pronto para estrear no início do bom tempo para pedalar (Abril/Maio).


(Manuel Reis Jorge) #40

Na parte inferior do Parque Bela Flor deve ser feito um tunel, que passa debaixo das 3 linhas de comboio, até a Av de Ceuta. Nada até agora.
Abril /Maio 2019?.. ou 2020?