Denúncia por ultrapassagem perigosa


(João Almeida) #21

Onde vives? Lisboa?

Provavelmente a melhor forma para aumentar a segurança rodoviária na zona é circular em grupo, mesmo para levar os filhos à escola. Vê aqui este exemplo:

Pode ser que haja alguém aqui no fórum que viva perto de ti.


(Marta) #22

Leiria, uma cidade onde se vêm muito poucas bicicletas… E trotinetes, vislumbrei uma vez 1 trotinete! Julgo que existem 3 na cidade. Ainda não vi mais nenhuma. :smirk:
A reportagem, que espetáculo! Quem sabe um dia aqui em Leiria se inicia um movimento assim :slight_smile: será uma possibilidade daqui a um ano, qd o meu mais velho for para a EB 2/3.


(Ana P.) #23

Talvez agora com o U-BIKE no IPL isso mude ligeiramente.


(Luís L Belard) #24

Concordo consigo: infelizmente uma denúncia feita e identificada por quem usa um meio vulnerável é um risco pessoal acrescido, em especial se fizer o mesmo percurso nos mesmos horários.
Como tenho sempre defendido, a instalação de câmaras/radares permitiria não só controlar excessos de velocidade, como detectar acidentes e infracções (já vi na Suécia um helicóptero pousar na estrada para multar um par de motociclistas que - aparentemente - deviam ir em excesso de velocidade. E já lá vão mais de 20 anos…).
Devem ser os utilizadores da via pública a investir em meios de fiscalização para se defenderem (como por exemplo adquirir uma action cam), ou deverão ser as autoridades?
Num caso destes, nem seria necessário o infractor ficar a saber quem o denunciou; o que lhe chegaria a casa era uma carta com foto (feita por câmara de vigilância pública) e a respectiva multa. E o sistema não é uma protecção exclusiva para ciclistas, mas sim um meio para registar também qualquer outra barbaridade de que um utente se queixe ou que eventualmente possa ser vista em directo por quem o fiscaliza o controla, incluindo acidentes.
Não pode haver um polícia para cada condutor ou peão, mas o sistema seria (infelizmente) pago em meses, além do que se economizaria em certas localidades com deslocações constantes que mobilizam carros e polícias.


(Cláudio Coelho) #25

Olá a todos!

Também fiz uma denuncia à PSP da Amadora (por email) por causa de uma ultrapassagem mal feita (razia) por parte de um condutor, com a agravante de no sentido contrário vir um outro veiculo. Usei uma das participações aqui elaboradas, com as devidas alterações e anexei os frames do incidente e respectivo vídeo de 10 segundos. Para meu espanto, sem levantar qualquer problema, a PSP informa que levantou um auto de contra-ordenação à pessoa em questão, sem me pedir mais nada.
Respondi ao email a agradecer a prontidão e questionei se não seria chamado a uma esquadra para assinar a participação ao que me informam “que não tinha necessidade de me deslocar a qualquer esquadra para assinar a participação”.

Tendo em conta o que já li por aqui, fiquei espantado com a facilidade com que tudo decorreu…


(Cláudio Coelho) #26

Bem me parecia que havia algo mais :slight_smile:
Recebi hoje este email:

“Encontra-se em organização o processo Contra-Ordenacional nesta Secção de Investigação Criminal de Trânsito, por participação de infracção ao CE, comunicado por V.Ex.ª. Para continuação de diligências torna-se necessário proceder à sua inquirição, pelo que, solicito a V.Ex.ª se digne comparecer na … no dia…:”

Já alguém recebeu algo deste género?


(Pedro Sanches) #27

Sim. Já fui presencialmente à PSP prestar declarações após denúncia.


(Cláudio Coelho) #28

E pela tua experiência é preciso levar o video ou as fotos?


(Pedro Sanches) #29

Já as tinha enviado via email previamente pelo que não foi necessário levar mais nada.


(Cláudio Coelho) #30

Ok obrigado. Foi como eu fiz.


(Aónio Eliphis) #31

@pmmsanches reparei apenas agora que me tinhas tagado a propósito da assinatura digital. Confesso que as notificações são tantas que me perco.

Chegaste a resolver isto? Não precisas da chave móvel digital.

No PC de casa, basta

  1. instalares a aplicação do cartão de cidadão para o teu PC: https://www.autenticacao.gov.pt/cc-aplicacao
  2. comprares um leitor de cartões: https://www.worten.pt/escritorio-e-papelaria/pos/leitores-de-cartoes/leitor-cartoes-bit4id-4647960
  3. teres as chaves/códigos do cartão de cidadão contigo (deram-te quando fizeste)
  4. exportares a carta/documento para pdf. Se tiveres o Libreoffice é só exportar, mas também podes usar serviços online se o doc vier do MSWord: https://smallpdf.com/pt/word-para-pdf
  5. assinares o pdf com assinatura digital: http://www.cm-vianadoalentejo.pt/pt/intra/baseconhecimento/Paginas/assinar-com-cc.aspx

Qualquer dúvida diz!


(Rui Fonseca) #32

Fui dar uma volta de bicicleta com uma câmara… Tenho tanto e-mail para mandar para a divisão de trânsito!

O mais engraçado é quando nas passadeiras um não pára, os que vêm atrás fazem o mesmo…


(Pedro Sanches) #33

Acabei de submeter a denúncia com pdf assinado digitalmente. Vamos ver o que me dizem.

Obrigado pela ajuda.


(Joao Santos) #34

Penso que o caminho não é por aí. Se assim for, ninguém se queixa de nada. Já uma vez tive uma altercação com um condutor que levou mesmo a confronto físico e, com testemunhas, levei-o a tribunal e foi condenado (já agora, as condenações em Portugal por este tipo e coisas são uma anedota). Mas pelo menos foi condenado. Também tive uma trabalheira para isso, mas valeu a pena. Tive sempre a colaboração impecável da PSP. E passo muitas vezes no mesmo local e até sei onde ele mora (perto do local da altercação). Mas calando-nos, só fazemos com que cada vez mais o sentimento de impunidade seja maior.


(Cláudio Coelho) #35

Pegando no que escreveu deixe-me contar o que aconteceu hoje:
Fui à divisão de trânsito prestar declarações sobre a minha denúncia. Foi-me pedido que fizesse a descrição do que se tinha passado antes, durante e após o incidente. O agente deu-me a entender que possivelmente as imagens que captei não poderão ser usadas como prova mas o meu testemunho sim.
Agora o porquê de fazermos sempre as denuncias: A pessoa em causa já tinha outras infracções e ainda coisas que ele não me pode explicar e somando a mais esta o agente referiu que a senhora deverá ficar sem a carta (o processo segue para a ANSR).
Por isso fica a ideia de que é mesmo importante fazer denúncia para limpar das estradas estas pessoas que não tem capacidade para andar com um carro nas mãos!


(Alexandre Climber) #36

É o mesmo do que reportar um assalto de uma bicicleta. Dá trabalho e não a vão recuperar. Mas se houverem vários relatos de ocorrências numa área especifica, ficam com um padrão da zona e se virem algo suspeito, já estarão alertas para os amigos do alheio…


(Pedro Sanches) #37

Tenho dúvidas disso. Não podem ser usadas como prova porquê?


(Cláudio Coelho) #38

@pmmsanches ele não me explicou o porquê dessa afirmação e eu na sequência da conversa não o questionei. Já não é a primeira vez que se fala disso até aqui no forum… Penso que quem poderá dar resposta a esta questão será a ANSR não?


(Joao Santos) #39

Duvido. As informações da ANSR… Não sei exactamente em que circunstâncias as imagens podem ser admitidas como prova (já ouvi falar de casos em que serviram), mas servem de indícios para investigação posterior. Se houver vontade das autoridades para investigar, claro.


(Pedro Sanches) #40

Resposta da PSP:

DATA:

13/MAR/2019

ASSUNTO:

Ultrapassagem perigosa

Exmo. Senhor Pedro Sanches,

Acerca do assunto em epígrafe, encarrega-me o Exmo. Senhor Comandante da Divisão de Trânsito - Intendente Filipe Palhau de informar que, conforme indicado por V. Exª., o processo contra-ordenacional será instaurado por esta entidade.

Antecipadamente grata pela atenção dispensada,