Grande Rota da Ria de Aveiro: praias, ria e montanha para fazer a pé ou de bicicleta

https://www.evasoes.pt/ar-livre/grande-rota-da-ria-de-aveiro-praias-ria-e-montanha-para-fazer-a-pe-ou-de-bicicleta

Grande Rota da Ria de Aveiro: praias, ria e montanha para fazer a pé ou de bicicleta


Grande Rota da Ria de Aveiro. Percurso Pedonal pelo troço Pardilhó da Rota. (Maria João Gala /Global Imagens)

Catarina Silva
15/10/2020

A Grande Rota da Ria de Aveiro, que junta três percursos de grande extensão e que atravessa todos os 11 concelhos da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA), foi apresentada ontem, em Estarreja. Um dos três percursos já está acessível aos visitantes, tem 131 quilómetros, rodeia a ria e é 100% ciclável.

São três grandes percursos e o primeiro, o Azul, já está inaugurado. Estende-se por 131 quilómetros e envolve a ria e os seus principais canais. A Grande Rota da Ria de Aveiro atravessa todos os 11 concelhos da Comunidade Intermunicipal da Região de Aveiro (CIRA) e passa por praias, ria e zonas montanhosas. Até à primavera de 2021, os outros dois percursos estarão acessíveis ao público.

“Esta rota não foi inventada por nós, foi inventada por gerações e gerações. Está aqui a melhor parcela territorial do Mundo”. Quem o diz é Ribau Esteves, presidente da CIRA, em jeito de convite para ir à descoberta de um “território com uma diversidade inacreditável”. A Grande Rota aproveita estruturas já existentes – ciclovias, percursos pedestres, passadiços – e limitou-se a unir caminhos antes quase inacessíveis, com a construção de pequenos trilhos. É a valorização dos investimentos feitos na última década.

Além de pedestre, é 100% ciclável, e para os menos preparados fisicamente há a opção de a percorrer numa bicicleta elétrica. Pelo caminho, também há atividades náuticas. Toda a rota pode ser programada online e, claro, personalizada (granderota.riadeaveiro.pt).


(Maria João Gala /Global Imagens)

O Percurso Azul, que já está acessível, é o mais plano, rodeia a ria de Aveiro, e já tem sinalização. Por ali, é possível conhecer o Centro de Interpretação da Construção Naval de Pardilhó, em Estarreja, um espaço que já chegou a albergar a indústria de construção de embarcações de recreio.

O percurso cruza ainda os estaleiros dos três únicos construtores de barcos que restam no lugar de Pardilhó e que ainda hoje criam artesanalmente os moliceiros. Da Ribeira das Bulhas à da Tabuada, além de Estarreja, o caminho atravessa os concelhos de Ovar, Murtosa, Aveiro, Ílhavo, Vagos e, parcialmente, Albergaria-a-Velha. É para correr as margens da ria, atravessa cais, campos de cultivo e zonas de sapal. Ali, cheira a maresia. Para quem o quiser fazer na totalidade, pode durar seis dias. Metade do percurso é em piso duro (asfalto, ciclovia, ecopista) e o restante em terra batida, com algumas partes de passadiço em madeira. Pode ser feito em qualquer altura do ano.

No que toca aos outros dois percursos, um deles será inaugurado até final do ano e o outro até março de 2021. O Percurso Dourado é o maior de todos, tem 234 quilómetros de extensão e circunda não só os territórios do interior como se expande para as zonas costeiras. Já o Percurso Verde, que tem 195 quilómetros, é focado nas zonas montanhosas, no interior da região. Os três percursos têm pontos de interceção. O objetivo não é mais do que guiar os visitantes pelos muitos lugares para ver da região de Aveiro.

1 Like

Muito interessante! Fiquei com vontade de visitar.

O site poderia mostrar no mapa com mais destaque as integrações com as estações da CP, para quem pretende fazer o trajeto levando a bicicleta de transporte público. Vou enviar mensagem nesse sentido para o site.

[]s

Chamo a atenção que entre São Jacinto e a Gafanha da Nazaré é necessário apanhar o ferryboat :wink:

Edit: Fica aqui a página para horários e tarifários.

2 Likes