Largura entre pinos à entrada de Ciclovia

Qual é que vocês acham que deve ser a largura entre dois pinos à entrada duma ciclovia ou ecopista que tenha a seguintes finalidades:

  • Impedir a entrada de carros ou outras formas de transporte para as quais não foram concebidas
  • Permitir a entrada de atrelados de bicicletas

A minha dúvida decorre de ter feito a lindíssima Ecopista do Dão e ter constatado que se eu tivesse levado um atrelado, a minha volta por lá teria sido impraticável apenas e só por causa dos pinos em várias entradas, sobretudo nos primeiros kms do lado de Viseu.

Obrigado.

2 Likes

Se ainda forem as divisórias que me lembro sim, não fazem sentido nenhum se fossem só para impedir carros de entrar.

Acho que eles metem isso para obrigar o pessoal de bike a parar para não haver acidentes (claro que os carros não tem de abrandar o ciclista é que tem de parar e fazer todo um zigue zague para passar )

Se fossem só pilaretes onde se pudesse passar sem abrandar devem achar que se pode ir distraído e não ver que é um cruzamento, assim é fisicamente impossível ir para a estrada sem reparar

Mas sim é uma solução de merda

2 Likes

Havia de passar lá alguém com um atrelado e filmar a acrobacia para depois podermos pressionar quem de direito. Preferencialmente com putos dentro do atrelado, para se ver o quão prático é…

2 Likes

Viva,

Penso que deveria sempre ter apenas um sinal “C4C - Trânsito proibido a automóveis, a motociclos e a veículos de tracção animal”. Se querem por pinos, que sejam bem visíveis e com largura suficiente para uma ambulância poder passar à justa. Se há carros ou motos que aproveitam para passar, é chamar a polícia e/ou fotografar e enviar à polícia.

Há que fazer confiança, essa é a chave do problema de muita gente.

1 Like

Há uns dias mandei o seguinte e-mail, até agora sem quaquer resposta.

from: me
to: [email protected], [email protected]
date: 4 May 2020, 14:44
subject: Pinos entrada na Ecopista do Dão

Caros/as Senhores/as CIM Viseu Dão Lafões.

Gostaria de saber se alguma vez irão considerar modificar as barreiras que existem nas entradas da Ecopista do Dão.
A minha observação decorre do facto de ter feito um passeio de bicicleta por lá em Agosto de 2019 e ter constatado o quão obtrusivo é. Se até para mim, que ia com uma bicicleta simples, foi difícil de entrar, então com um atrelado é completamente impraticável.
Até cheguei a deixar num fórum Internet uma discussão sobre o assunto: Largura entre pinos à entrada de Ciclovia

Desde já agradeço e despeço-me com os melhores cumprimentos,
Sérgio Loureiro

1 Like
1 Like

Cada vez pior na Ecopista do Dão :rage:

Agora além das “padiolas de madeira”, ainda meteram umas balizas metálicas:

Obviamente não fiquei calado e tive de deixar a minha opinião:

«

Cambada de idiotas sem noção nenhuma de nada. Eu já fiz a ecopista toda no sentido Viseu — Santa Comba Dão e a maior crítica que lhe fiz na altura são as “padiolas de madeira” que lá existem sobretudo na parte mais encostada a Viseu.
Se eu só com uma bicicleta já me custou, agora imaginem o que sucede com uma bicicleta acoplada a um atrelado.
Com mais estas “balizas”, estão a fazer um excelente trabalho de DESPROMOÇÃO da ecopista.
Eu próprio já tinha enviado um e-mail a questionar se alguma vez iam fazer alguma coisa em relação às “padiolas de madeira”: Largura entre pinos à entrada de Ciclovia
Nunca me tinham respondido. Agora deixaram aqui uma reposta pública. Portanto, agora eu já sei onde NÃO IR e DESACONSELHAR outras pessoas de lá porem os pés.
E já agora eu sou desses lados de Viseu.
»

1 Like

Em Lisboa também temos dessas aberrações. Para aqui passar tive que desengatar o atrelado da bicicleta.

2 Likes

O que faria sendio haver aí era barreiras levantadiças, como as que existem em pontos onde os carros se cruzam com o combóio. Algo como na foto:

Aí o que fazia sentido era nem haver esse cruzamento e a ciclovia continuar do mesmo lado…

1 Like

Pessoal, chegou a hora de irmos lá mandar bocas à resposta estapafúrdia que deram:

«

Ecopista do Dão
A substituição dos redutores de velocidade realizada na Ecopista do Dão, nomeadamente no troço inicial, localizado no concelho de Viseu, teve como principal objetivo melhorar as condições de circulação dos utilizadores, nomeadamente os dos portadores de dificuldades motoras, já que as anteriores, em madeira, não o permitiam.
Fruto de vários testes piloto, desenvolvidos ao longo dos últimos anos, os redutores de velocidade agora adotados garantem o espaço de circulação necessário a utilizadores com mobilidade reduzida e/ou bicicletas mais longas (com tandem ou atrelado), sendo, inclusive, um sistema pouco intrusivo à circulação de todos os utentes da Ecopista do Dão.
Em complemento às preocupações anteriormente enunciadas, não se podem negligenciar as condições de acesso à Ecopista do Dão, por parte das forças de segurança, proteção civil e de emergência e socorro, pelo que a solução agora adotada permite um mais fácil e rápido acesso, por parte de todas estas entidades, ao longo de todo o traçado da Ecopista do Dão, o que até aqui não acontecia.
Não podemos deixar de ter em consideração o facto de a Ecopista do Dão ter mais de uma centena de interseções com vias rodoviárias, pelo que era e é fulcral que nos principais cruzamentos, com vias rodoviárias principais, fossem acauteladas as condições de segurança de todos os utilizadores da Ecopista do Dão, sendo que, para os veículos motorizados, existe sinalização vertical e horizontal, lombas e marcações no pavimento, com o intuito de se limitar a velocidade da circulação automóvel.
Importa, ainda, realçar o facto de que a parte significativa dos acidentes reportados na Ecopista do Dão derivam da velocidade elevada empregue por parte de alguns ciclistas, pelo que, de modo a evitarem-se acidentes, reiteramos o conselho a todos os utentes, para o cumprimento rigoroso das normas expressas no Regulamento da Ecopista do Dão, nomeadamente no que concerne à velocidade máxima de circulação.
Neste sentido, recordamos que a Ecopista do Dão é uma infraestrutura que se destina à prática desportiva e de lazer, nomeadamente ciclismo, patinagem, jogging, caminhadas, entre outras finalidades, sendo que as intervenções realizadas levam, forçosamente, em conta as necessidades dos diferentes tipos de utilizadores.
Não podemos, ainda, deixar de assinalar que continuamos a registar a circulação de veículos motorizados, não autorizados, na Ecopista do Dão, facto que coloca em risco os utilizadores da Ecopista e causa graves danos na via e suas estruturas, motivo pelo qual se considera que os elementos entretanto instalados, serão essenciais para garantir, também, a segurança de todos os utentes da Ecopista do Dão.
»

1 Like