O Lugar dos Ciclistas é "no Meio da Estrada"


(António Jesus) #21

“no Meio da Estrada” não é o termo correcto mas sim “no Meio da faixa”
É mais seguro para evitar as tangentes que muitos fazem.
Eu faço muito isso para evitar os automobilistas que não respeitam as distancias, obrigando-os a fazer uma ultrapassagem


(Ana P.) #22

O melhor é mesmo ver a apresentação toda. :slight_smile:


(Filipe Adao) #23

Como posso ver a apresentação sem fb?


(Ana P.) #24

(António Jesus) #25

Pois é… não li a apresentação antes do comentário…

Desculpe, já comecei a ver antes de sair para o trabalho e logo verei o resto.

Pelo que já li está de parabéns


(António Jesus) #26

Bom dia Ana

Já vi toda a apresentação e mais uma vez parabéns pela mesma.

No entanto tenho mais umas dicas/dúvidas:

  • roupa que ciclista usa deverá ser de cor visível, nada de cores escuras, para melhorar visibilidade

  • um veículo quando em ultrapassagem de uma bicicleta poderá pisar traço contínuo. Certo ou errado?

  • uma coisa estupida que não entendo é porque razão em Lisboa as motas podem usar as faixas de bus para terem mais segurança e as bicicletas não? Eu ignoro isso e venha quem vier justificando pela minha segurança

Obrigado


(Pedro Sanches) #27

Isso poderá justificar-se em zonas sem iluminação pública ou de fraca iluminação. Um colete reflector poderá ajudar, por exemplo. Em ambiente urbano, tal não faz sentido. Bastarão as luzes e reflectores da bicicleta exigidas na regulamentação.

Errado. Em Portugal tal não é possível. Em Espanha é permitido.

Em Lisboa, a convivência entre autocarros e bicicletas não é bem vista por quem decide estas coisas. Daí não serem favoráveis a esta ideia e preferirem segregar. O problema é que a criação de infraestruturas cicláveis seguras também demora e demora e demora… até lá, mesmo que de forma ilegal, o melhor mesmo é ir usando as vias BUS minimizando o impacto nos transportes públicos.


(António Jesus) #28

Obrigado Pedro,

Sobre traço contínuo tinha quase a certeza que podia pisar… eu o faço quanto automobilística.


(Pedro Sanches) #29

Pois, em Portugal não o podes fazer legalmente, apesar de ser prática recorrente.


(Ana P.) #30

Obrigada, António.

Na verdade, a roupa que se usa não é muito importante. O que é importante são luzes adequadas na bicicleta (e reflectores nos pedais, idealmente) e um bom posicionamento nas vias.

O nosso CE não permite pisar traços contínuos, mesmo para ultrapassar bicicletas, ao contrário de Espanha, por exemplo. Penso que poderíamos ter isso cá também, que no caso da ultrapassagem de bicicletas, desde que as condições fossem seguras, que se pudesse ultrapassar com traço contínuo. A maior parte dos condutores já faz isso.

O uso dos corredores BUS pelas motas é para evitar que os condutores filtrem as filas. Não permitem o mesmo às bicicletas porque receiam que tal afecte a velocidade comercial dos autocarros. O que é estúpido, porque já é uma prática comum e não me parece que tenha grande relevância na velocidade, pois à hora de ponta os constrangimentos não serão causados pelos ciclistas, mas pelos automóveis e pelos semáforos necessários para os gerir.


(António Jesus) #31

Obrigado Ana pelo esclarecimento


(Paulo Sérgio Bandeira Franco) #32

António, se diz que o correto é circular no meio da “faixa de rodagem”, isso significa que circula em cima do traço contínuo ou descontínuo, ou seja, literalmente no meio da estrada! O correto será circular no centro da via, sendo que a “faixa de rodagem” tem duas vias, a esquerda e a direita, e nós, enquanto veículos, circulamos na via direita…por enquanto não somos ingleses. :wink:


(PN) #33

@Franco, um “à parte”, circula-se pela direita, em Portugal, desde 1 de Junho de 1928, cá também se “andava” à inglesa :wink:


(Cláudio Coelho) #34

Percebo o que diz. Sinto que circular ali na praça de espanha (estrada) é uma roleta russa. É o único local em Lisboa onde ia sendo abalroado por duas vezes, em posição primária.

Parabéns @anabananasplit pela apresentação! :slight_smile:


(Ana P.) #35

Obrigada, Cláudio.


(Sérgio Loureiro) #36

Discordo diametralmente! Consegues explicar como faço devagar a opção 1 em Barra de cimento assassina no fim da descida da Ciclovia da Rua das Murtas ?


(Ana P.) #37

Sérgio, estás a falar da primeira regra, VER?

Bom, parece-me óbvio, se é de noite tens que ter luz dianteira adequada na bicicleta, e depois, como em qualquer veículo, tens que adequar a tua velocidade às condições de visibilidade, não podes exceder a velocidade que te permita parar em segurança se algo aparecer na faixa de rodagem (DAR ESPAÇO PARA ERROS E SURPRESAS).

Isto não desculpa má engenharia, só te protege dela.