PAN, PEV e BE ao lado da MUBI


(João Almeida) #21

Pois, e a maior parte dessas 350 mil devem ser desportivas. Espero que não que seja aceite e que se guarde o trunfo para as bicicletas de carga.


(Three) #22

:rofl: bike TIR ?:rofl:


(Rui Igreja) #23

Não sei. Nunca vi dados de isso. Mas tb não existe categorização formal do q é uma bicicleta desportiva ou para outros fins.
Mas, segundo o mesmo relatório da CONEBI: http://www.conebi.eu/wp-content/uploads/2018/09/European-Bicyle-Industry-and-Market-Profile-2017-with-2016-data-update-September-2018.pdf, o preço médio (com IVA incluído) das bicicletas vendidas em Portugal foi em 2016 de 250 Euros.
O q nos leva a concluir q o grosso não serão bicicletas desportivas, mas sim bicicletas de relativamente baixa gama.
Em contraste, na Holanda o preço médio foi de 1010 Euros.

A ECF tem um mt interessante relatório em q analisa o relatório da CONEBI de 2016 (com dados de 2015): https://ecf.com/sites/ecf.com/files/CONEBI%20market%20report%20analysis%202016_1.pdf, onde, por exemplo, tem esta imagem q correlaciona o preço médio das bicicletas vendidas com a repartição modal da bicicleta nos países da europa ocidental:


e q contraria a ideia generalizada de q são as bicicletas desportivas q dinamizam o mercado. As pessoas estão dispostas a pagar mais pela sua bicicleta quando existem condições que permitem a sua utilização regular como modo de deslocação.


(João Almeida) #24

Desportivas/Lazer. Se a maior parte fosse com outro intuito, a taxa modal de utilização de bicicleta seria bem diferente. 350 mil equivale a 3,5 % da população portuguesa.


(Rui Igreja) #25

O Relatório de Diagnóstico do Plano Municipal de Mobilidade de Aveiro - o tal q ficou a meio e q parece q diz q agora é q vai prosseguir - refere q no concelho de Aveiro existem, salvo erro, 600 e tal bicicletas por mil habitante, mais do q carros.
No relatório do Portugal Ciclável 2030, o próprio Governo argumenta q já existem muitas bicicletas em Portugal prontas a circular por este país fora.

Na minha perspectiva, existem duas questões indissociáveis:
As pessoas compram e têm bicicletas com o intuito de as usarem no dia-a-dia, quando existem condições para as usarem no dia-a-dia.


(João Almeida) #26

De acordo, mas por isso é que espero que esta proposta do PAN não avance, e que o apoio seja só para as eléctricas e que para o ano se tente as cargobikes. Parece-me que quem compra uma bike destas, é mais provável que já tenha em consideração a inexistência de condições.


(Miguel Maia) #27

http://miguelmaia.tumblr.com/tagged/bicla-de-carga/chrono#.W_yWhu5UnxM


(Three) #28

Isso é preocupante. Uma bicicleta de 250 € que circule todos os dias ao fim de um ano tem os rolamentos e mudanças estoiradas. São obviamente modelos para uso casual. Se forem sujeitas a uso intensivo vai-se perceber que são muito fracas