Satisfação com a Ferrovia na Europa

Achei interessante este eurobarómetro sobre a satisfação dos europeus com a sua ferrovia, e gostaria de partilhar.

EUROPEANS’ SATISFACTION WITH RAIL SERVICES

Vede Página 31

O Reino Unido aparece em terceiro lugar.

Sempre que vos disserem que a ferrovia no RU é um inferno porque os neoliberais a privatizaram e liberalizaram há algumas décadas, vejam os factos !

Estes usam outra métrica onde o RU já não aparece tão bem, meramente porque tem menos uso comparativamente, em qualquer caso acima da média.

2 Likes

Eu se precisasse de comboio só entre Porto e Lisboa também estava satisfeito.

O problema é onde as pessoas nem sequer o podem usar. Essas não aparecem no inquérito.

2 Likes

Tens dados para afirmar que a rede ferroviária britânica é menos extensa que a portuguesa?

Eu acho que nunca andei de comboio no UK, nem nunca estudei o assunto, por isso não comento.

Mas conheço melhor os comboios de Alemanha e Itália. E eles aparecem atrás de Portugal no primeiro gráfico.

Tenho contudo de referir que os comboios têm melhorado significativamente no último ano na linha da Beira Alta, quer em termos de atrasos quer nas carruagens. Espero que seja resultado de um governo a dar mais importância ao assunto.

1000 milhões, que falta que faziam para a ferrovia! @jmpa 1000 milhões dariam para quantos kms de linha férrea? Queres fazer as contas?

1 Like

Bem, isto já não tem nada a ver com ferrovia. Que eu saiba o comboio não vai até aos Açores e Madeira.

Mas do ponto de vista financeiro, que sentido faz privatizar um ativo quando ele está profundamente desvalorizado por razões exógenas?

1 Like

Já não há pachorra para a propaganda neo-liberal! As empresas privadas também são mal geridas. Nem todas as empresas públicas são mal geridas. Quando se trata de “too big to fail”, os neo-liberais vêm de rabinho entre as pernas pedir apoios ao Estado.

A IL ainda não o fez, porque ainda não esteve do outro lado. Por enquanto, pode-se permitir de erguer bem alto todas as bandeiras que quiser.

E nem sequer estou a defender que a TAP não deva ser privatizada. Aquilo que não posso aceitar é que o seja mas que, depois, mais uma vez, os seus accionistas venham chorar por apoios do Estado.

Quanto aos inquéritos à ferrovia, olhando para o 1º, com a sua elevada percentagem de NS/NR, ocorreu-me que muitos dos inquiridos conheçam tão mal a ferrovia portuguesa que nem sequer saibam que ela tem imensas lacunas.

2 Likes

@ricferr mas uma empresa vir chorar a pedir apoio ao Estado é perfeitamente o contrário de liberalismo…
Claro que há empresas privadas mal geridas. O ponto não é esse. O ponto é que se forem mal geridas… quem arca com os prejuízos são os próprios accionistas e não todos nós através de impostos. A não ser que, e mais uma vez, venha o Estado a correr dar apoios… mas isso não é liberalismo!

@jmpa o comboio não vai até às ilhas, da mesma forma que a TAP não é a única a assegurar essas ligações. E outras ainda viriam ocupar o seu lugar. Eu acho pornográfico o nível de impostos que pagamos para depois nestas coisas não fazermos um mínimo de esforço para cortar onde se consegue fazê-lo sem impactos. Tudo pela obsessão em se fazer questão em ter uma companhia de bandeira… seja lá o que isso for. Mas pronto, esta é só a minha opinião e é um offtopic para aqui.

1 Like

Outras que vão receber apoios públicos por essa Europa fora. Qual é o sentido de deixar a TAP ir à falência, se o seu serviço vai ser substituído por empresas que receberam apoios por exemplo do Estado alemão ou francês, aumentando o desemprego em Portugal e deteriorando a nossa balança comercial?

Só os irlandeses é que não vão dar apoios.

https://www.bloomberg.com/news/articles/2020-05-02/coronavirus-airline-bailouts-a-guide-to-85-billion-in-state-aid

@Aonio_Lourenco porque é que os contribuintes dos outros países gostam de ser donos dos operadores ferroviários britânicos?

Não é assim que funciona a balança comercial… nem o fenómeno do desemprego…
Qualquer empresa que substituísse a TAP precisava de contratar, e de certeza que não é contratando na Alemanha para operar em Portugal. Já a balança comercial tem a ver com exportações ou importações… um alemão que produz em Portugal e exporta para a Alemanha, continua a ser uma exportação. A balança comercial deteriora-se quando procuras estimular a economia por via do consumo… porque o consumo vai sempre puxar pelas importações e diminuir as exportações. Sempre. Assim como o investimento (ou se consome ou se investe… regra de ouro). Manter viva uma empresa deficitária só serve para fazer dívida pública e manter distorções num mercado concorrencial. Sem a TAP mantida a soro de dívida pública, o mais provável era teres outro operador a fazer exactamente o mesmo serviço mas sem causar prejuízo, e muito provavelmente até com preços mais competitivos.

1 Like

Se comprares um voo à Ryanair de Portugal para o UK conta como exportação portuguesa?

Quando voas com a Lufthansa de e para Portugal, os trabalhadores pagam impostos na Alemanha, a empresa paga impostos na Alemanha, ou seja a receita fiscal e emprego associado está a ir para outro país. E isto irá acontecer porque não quiseste salvar uma empresa viável numa altura em que foram forçados a parar a operação, enquanto a Alemanha o fez ganhando vantagem competitiva. Não é por acaso que a Ryanair apresentou queixa em tribunal por causa dos apoios estatais.

1 Like

De facto, não é. Mas quando foram os bancos privados em risco de falência, os liberais não se importaram que o Estado os resgatasse. E estivesse o Cotrim no governo, duvido que tivesse deixado os bancos cair.

Eu não sou comunista. Eu acredito vivamente na iniciativa privada. Simplesmente, acho que certos sectores devem ser negócio do Estado ou, pelo menos, o Estado deve ter a capacidade de garantir o fornecimento desse bem ou serviço sem depender de privados: água, energia, saúde, educação, segurança, alguns transportes públicos.

Sendo bens ou serviços essenciais, e facilmente corporativizados, cabe ao Estado assegurar que todos os cidadãos a eles têm acesso sem depender de regras de mercado.

Quem falou em privatizar? Era vender, e se ninguém quiser, era deixar falir. Com centenas de companhias aéreas a operar na Europa, quem é que precisa da tap?

Não me respondeste, mil milhões dariam para quantos kms de ferrovia?

1 Like

Pois são, a pequeníssima diferença é que nesse caso normalmente vão à falência, e não te vão fazer coerção para que tu lhes sustentes a má gestão. Detalhes!

Mais concretamente, foram 2484 as empresas declaradas insolventes pelos tribunais desde janeiro até hoje, o que dá uma média de 13 por dia

Um chorrilho de generalizações, o facto de ser privado não impede que o estado garanta saúde e educação para toda a gente, independentemente das posses de cada um. Na Holanda não há SNS, funciona tudo por seguros privados, mas se não tiveres dinheiro para o seguro, o estado paga-te o seguro. Não confundir liberalismo americano com liberalismo social europeu.

1 Like

Falaste tu.

image

Precisam os funcionários que lá trabalham ou achas que os pilotos e hospedeiros de bordo são voluntários? E precisam todos os contribuintes portugueses que haja empresas a dar emprego e a pagar impostos em Portugal.

Não sei, só disse que mil milhões não chegam para uma ferrovia até aos Açores e Madeira. E que isso a TAP consegue fazer.

Mas diz-me porque é que te incomoda que o UK tenha um operador ferroviário, mas não te incomoda que a maior parte dos operadores do UK sejam detidos pelos Estados de outros países.

E também vais nacionalizar as 13 empresas que vão à falência todos os dias? Ou esses trabalhadores são de segunda categoria? Os funcionários que lá trabalham se forem competentes, arranjam imediatamente emprego noutras companhias aéreas?

Deixa ver se percebi, apenas os Airbus da tap conseguem voar para os arquipélagos? A sério, estou mesmo confuso, ou será que existe alguma barreira aérea que deixa trespassar apenas companhias públicas, uma espécie de Karl Marx dos céus

http://www.easyjet.com/pt/voos-baratos/portugal/madeira

1 Like

Mas quem é que falou em nacionalizar?

Easyjet, essa empresa que também vai receber apoios públicos.

EasyJet

  • State Aid: Has raised 600 million pounds ($750 million) through the U.K. government’s Covid Corporate Finance Facility.

Ou como verdadeiro liberal vais impedir todas as companhias que tiveram apoios estatais, e que por isso estão a distorcer o mercado livre e o princípio da concorrência, de operar em Portugal?

É um empréstimo, tal como o apoio ao Novo Banco foi um empréstimo em que o estado verá o dinheiro de volta em 30 anos. Já o que o estado português fará na tap é simplesmente torrar 1000 milhões dos contribuintes, em que verá zero de volta. E daqui a 10 anos vai continuar o peditório.

É altamente faccioso e simplista colocar tudo no mesmo saco com referência à expressão “apoio do estado”

É um empréstimo.