U-Bike - Universidade do Porto

Etiquetas: #<Tag:0x00007f7a010bdcb8>

Consulta pública do U-Bike na Universidade do Porto:

Regulamento:
https://cdup.up.pt/attachment-download/Propostaregulamentoubike-58ac80dabdbe4.pdf

Umas coisas esquisitas q apanhei no Regulamento:

Artigo 4-3) “O utilizador é responsável, a todo o momento, pelo cumprimento de obrigações legais que lhe sejam determinadas por qualquer autoridade competente, administrativa ou policial, incluindo a necessidade de utilizar capacete de proteção, colete refletor ou outro tipo de equipamento de igual natureza.”
(Na U Porto, o U-Bike terá 220 bicicletas elétricas e 45 bicicletas convencionais)

O Artigo 4-4) “O utilizador é o único responsável por quaisquer acidentes ou prejuízos causados ou sofridos, no condutor, na bicicleta ou a terceiros, que ocorram durante o período de utilização da bicicleta.”


Parece-me q não é possível para a MUBi acompanhar os desenvolvimentos do U-Bike nas acho q 15 universidades participantes.
Mas, como a MUBi tem algumas pessoas no Porto e como a U Porto parece estar a ser a primeira a avançar com estas coisas, @core (principalmente malta da zona do Porto), o q acham de a MUBi dar alguma opinião quanto a este regulamento e dar a deixa de q gostava tb de participar, ou dar opinião, sobre o manual q vai ser feito para os utilizadores.
Imagino q este manual tenha dicas/conselhos, e imagino q possa ter coisas como “use o colete reflector”, “ande encostado à direita”, e se esqueçam, como se esqueceram no regulamento, de coisas mais importantes como usar luzes à noite, e outras coisas.

5 Likes

Diria que para a revisão do doc, todos poderemos contribuir. Mas será essencial que alguém aí de cima consiga efectuar um contacto mais próximo.

Abraços

RF

2 Likes

Poderemos participar na consulta pública e apresentar algumas sugestões em relação ao Regulamento ou a um eventual manual do utilizador…
De qualquer das formas, julgo que esta “consulta pública” está particularmente orientada para a comunidade académica.

O Projeto U-Bike centrou-se na disponibilização de bicicletas às escolas do ensino superior, recusando conscientemente uma intervenção mais estrutural, atendendo ao limitado espaço de intervenção que as universidades poderão ter nestas questões da mobilidade urbana… Na realidade não são o gestor do território, não têm competências no planeamento e projecto de infraestruturas, nem na gestão do tráfego rodoviário…
Infelizmente o projecto não atende a uma série de questões cruciais para a promoção e uso da bicicleta nas deslocações diárias, desde logo associadas à segurança dos utilizadores (aquelas que são realmente importantes) ou à conveniência do sistema (aquilo que permitirá a iniciativa ter sucesso). A promoção de um ambiente rodoviário mais seguro, o ajustamento de infraestruturas, a instalação de equipamentos de apoio ou o estacionamento seguro (inclusive dentro das próprias instalações) é minorado.
Resolveu-se começar pelo mais fácil: distribuir umas bicicletas, julgando com isso impulsionar a alteração de hábitos de transporte e até a indústria nacional associada à bicicleta eléctrica.
Tanto quanto sei, na Universidade do Porto o projecto poderia ter sido elaborado de uma forma mais estruturada (por exemplo, o dimensionamento do sistema não resulta de um estudo ponderado sobre a matéria; nem houve grande envolvimento das várias unidades orgânicas).

Deveremos nós - enquanto associação de utilizadores - intervirmos neste processo de sentido particular?! Seremos bem recebidos?!

Não li o regulamento nem sei bem o que inclui a proposta da UP. Sei que houve outras propostas que incluíram horas de formação de circulação em meio urbano (não me lembro se isso fazia parte do caderno de encargos ou se foi uma mais valia de alguma(s) proposta(s)).

Depois de ler os comentários do @paulosilvestre, fico a pensar que podemos ter uma abordagem ligeiramente diferente. Enviar uma simples mensagem à UP a comentar, por exemplo, que mais importante do que capacete ou colete de alta-visibilidade (que poderão não ser obrigatórios por lei), é essencial recomendar luzes e informar os utentes sobre os comportamentos defensivos a adoptar no ambiente rodoviário.

Podemos terminar por divulgar o nosso BB e, eventualmente, algumas outras recomendações. Do lado deles, aceitam ou não, mas cumprimos o nosso dever.

abraços

RF

3 Likes

Acho esta questão muitíssimo grave. Infelizmente não consigo dispensar muito tempo neste momento.

2 Likes

pessoalmente se lesse isso nem punha os pés numa Ubike. que horrivel.

Porque não sugerir, dar orientações para boas praticas? Esse “Ubikers” vão ser potencialmente, utilizadores no futuro. Porque não educar da melhor forma as melhores praticas e uma abordagem menos intimidatória e com lacunas em temas essenciais.

não tive vagar de ler tudo alias parei aqui meio perplexo “Compromisso pelo utilizador de usar a bicicleta periodicamente, percorrendo uma distância média mínima de 10 quilómetros por dia, num período de 6 meses a 12 meses.” pensando se a Ubike será uma medida de combate a obesidade também, ou se o tema fulcral é alienar o transportes tradicionais em prol da mobilidade.

3 Likes

Eu não vi a proposta da UP, nem nenhuma outra. Estão disponíveis em algum sítio?

Mas suponho q se tivesse incluído horas de formação, o regulamento para os utilizadores obrigaria, ou pelo menos indicaria, fazer essas horas.

Segunda a info na página da UP, “A comunidade académica é convidada a apresentar contributos e sugestões … até 24 de março”.
Mas o tal artigo 110 do Regime Jurídico das Instituições de Ensino Superior diz “a aprovação dos regulamentos é precedida da divulgação dos projectos e da sua discussão pelos interessados durante o período de um mês.”

Por isso, penso q a MUBi pode enviar essa mensagem, até com um tom algo informal, com essas observações.
O objectivo do U-Bike é pôr pessoas q antes não faziam as suas deslocações em bicicleta a fazê-lo, pelo q poderá haver mt gente sem experiência em andar de bicicleta neste contexto urbano. E assim, serem importantes as informações q lhes sejam transmitidas. E como bem sabemos há uma grande tendência para transmitir apenas medidas de segurança passivas.

O Regulamento do U-bike diz "_A implementação do projeto U-Bike Portugal deve ser acompanhada ao nível nacional e local pela comunidade académica, nas suas diferentes representações e estruturas, pelas autarquias locais e por outras entidades relevantes ao nível local e regiona_l"
E inclui referências a uma Comissão de Acompanhamento Nacional, q para além de várias instittuições públicas prevê: “Outras entidades relevantes”.
E Comissões de Acompanhamento Local q "integra representantes da instituição de ensino superior e da Câmara Municipal respetivas, assim como outras entidades consideradas relevantes, como, operadores de transporte público, associações locais e associação de estudantes"
https://poseur.portugal2020.pt/media/38639/07_03_2016_anexo-i-regulamento-projeto-u-bike-portugal.pdf (artigos, 13, 14 e 15)
Não sei se alguma coisa destas foi já instituída, e não percebo mt bem a q fase(s) se refere.

1 Like