World statistics of Car Costs


(Three) #23

:rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl::rofl:


(Aónio Eliphis) #24

Não me digas que acreditas que o sol é uma esfera perfeita? Se não sabes o básico de aritmética, também não vais lá com astrofísica.


(Nuro Carvalho) #25

Mas vocês ainda dão palha ao Troll?


(José Miguel Ramos Modesto) #26

Nem a Terra é uma esfera perfeita. É achatada nos pólos! Provavelmente o mesmo acontece com os outros planetas, e é natural que com o Sol aconteça fenómeno semelhante por influência de todos os corpos que o orbitam (e muuuuitas outras variáveis).
A risada de algumas pessoas quando ouvem/lêem estas coisas só demonstra como têm certezas em coisas onde não as deviam ter…


(Three) #27

Façam o favor de não misturar filosofia, astrologia e economia com ciências exactas, apenas revela um profunda ignorância dos fenómenos. Obrigado


(João Almeida) #28

O CDS fez um site para que os cidadãos vejam o peso dos impostos nos combustíveis.

http://www.maisimpostomenoscombustivel.pt/


(Aónio Eliphis) #29

O problema é que com a moeda única, houve uma enorme alocação de recursos para o exterior, provocando um grave problema na balança de pagamentos e no défice externo, tal como pode ser visto no sistema Target2 do BCE. Ou seja, a transferência de capitais da periferia da Europa, para o centro. E um dos grandes responsáveis por essa transferência de capitais, está na importação maciça de combustíveis e automóveis. Se o estado não aplicasse estes níveis de fiscalidade, o problema para o país ainda seria maior.

O CDS é assim um embuste partidário, porque não passa de um partido que promove a demagogia barata.


(João Almeida) #30

O problema é que não é só o CDS:

"O anúncio foi feito logo após um debate de duas horas, agendado pelo PSD, centrado em políticas fiscais e de preços para os combustíveis. Durante a discussão, PSD e CDS culparam o Governo e os seus parceiros parlamentares pelo “pesadelo” do “saque” aos portugueses nos combustíveis, acusando o executivo de falhar a “palavra dada” e recolher mais de mil milhões de euros em “austeridade encapotada”. Já o PS justificou a atual situação de escalada nos preços ao consumidor da gasolina e do gasóleo com a subida de custo das matérias-primas.

BE e PCP criticaram as margens de lucro das multinacionais petrolíferas e a falta de regulação dos mercados nacional e internacional. O CDS já anunciou, aliás, que quer aproveitar a posição da esquerda - os bloquistas defenderam, durante o debate quinzenal desta quarta-feira, a descida dos impostos sobre os combustíveis - para mudar a história das suas iniciativas neste sentido: é que, até agora, os centristas tentaram por três vezes acabar com o ISP, mas a esquerda barrou as propostas."

Está uma petição pública em curso: http://peticaopublica.com/pview.aspx?pi=PT89502

Um boicote nacional previsto para amanhã:

E há várias manifestações agendadas por cidades em todo o país.


(Aónio Eliphis) #31

Atenção que o PCP tem uma visão sobre esta matéria ainda mais demagoga. Acha que deve ser o estado a compensar as oscilações do mercado, para garantir um preço fixo para os consumidores.


(José Miguel Ramos Modesto) #32

Eu nunca conseguirei deixar de me surpreender em como as pessoas acham uma ofensa tão imoral que os combustíveis sejam algo… pelo qual se pague, e tendencialmente se pague bem. Pelos transportes públicos não vejo a malta a bater-se tanto…
Mas acho de facto que isto está em linha com muito do que nos caracteriza, infelizmente.


(João Almeida) #33

E a pressão continua, desta feita por parte dos camionistas:

“Concretamente a gasolina, ultrapassará os dois euros por litro e o gasóleo estará acima de 1,7 euros por litro [se pensarmos que, em média, um depósito de combustível são 40 litros, na gasolina chegará ao 80 euros atestar]”.


(José Miguel Ramos Modesto) #34

Epa já oiço falar dessa da gasolina a 2€ há uns bons 10 anos. Gasolina a 2€ há 10 anos já tinha chegado tarde! Para quando nos 3€?

Também não percebo porque raio se associa, ou se compara, os salários portugueses com os preços dos combustíveis. Ou os preços dos combustíveis com os das casas. Irra, mas são necessidades equivalentes??! Já aumentavam mais o ISP e o ISV para que pudessem diminuir, por exemplo, o IMI.


(João Almeida) #35

Não acho que se deva mexer primeiro no ISP, já somos um dos países com combustíveis mais caros da Europa. Acho que o próximo passo seria aumentar o preço do estacionamento nas cidades, pois permite taxar quem tem melhores alternativas de transporte. E no preço do estacionamento estamos bastante abaixo da média europeia:

Quanto ao IMI, tal como existem demasiados automóveis em Portugal, também existem demasiados fogos habitacionais. Temos cerca de 5,5 milhões de casas perfeitamente habitáveis e apenas 4 milhões estão ocupadas. Somos o segundo país da Europa com maior número de habitações vazias por habitante, só superados por Espanha. E a previsões demográficas portuguesas são de queda constante, cada vez necessitaremos de menos habitações. Aumentar o IMI teria efeitos positivos no mercado de arrendamento, obrigando os proprietários a alugar as casas desabitadas, o que conduziria a uma diminuição geral do preço das rendas.


(Aónio Eliphis) #36

Não encontrei preços para gasolina recentes, mas estes são de 2015


(João Almeida) #37

Segundo dados deste mês (não sei se são fiáveis), somos o 10º país do mundo com gasolina mais cara:

https://www.globalpetrolprices.com/gasoline_prices/

Segundo o artigo do SOL:

"Na semana de 14 de maio, por exemplo, o litro do gasóleo custava 1,35 euros em Portugal . Era já o 10.º mais caro entre os 28 países da União Europeia. No entanto, antes de impostos e taxas, o valor fixava-se em apenas 0,62 euros. Ou seja, mais de metade do preço pago vai para os cofres do Estado. Já o preço médio da gasolina 95, que é a mais vendida, era de 1,56 euros por litro, quando antes do IVA, do ISP, da contribuição sobre o setor rodoviário e do adicional por taxa de carbono era de 0,61 euros por litro.

Os dados mostram que o preço da gasolina 95 em Portugal é o quinto mais alto no conjunto dos 28, sendo 26 cêntimos mais elevado do que em Espanha, por exemplo. Só Holanda, Itália, Grécia e Dinamarca tinham a gasolina mais cara na semana em análise.

(…)

E, de acordo com alguns especialistas, o cenário, que hoje parece mau, pode vir ainda a piorar. De acordo com o consultor Marco Silva, “é importante ter a noção que o Imposto Sobre os Produtos Petrolíferos e Energéticos (ISP) mais o Imposto sobre o Valor Acrescentado (IVA) são cerca de 60%, no caso da gasolina e próximo de 50% no caso do gasóleo. Mesmo que o preço da matéria-prima varie um dólar, não significa que isso vá ter uma influência direta no preço final, porque os impostos vão manter-se, ou até aumentar”. E, acrescenta ainda: “Neste momento só não pagamos mais que em Itália, Bélgica e Suíça”."


(Three) #38

Ou és ingénuo ou estás a fazer-te de parvinho. Não é preciso ser economista para saber que aumentos nos preços dos combustíveis levam a recessões, desemprego e miséria social com impactos directos em todos os produtos de primeira necessidade. Aliás sendo os combustíveis uma commodity, taxas de imposto que rondam os 60% são um esbulho real. Parece não existir limite para a fracção de imposto aplicado aos combustíveis e tal só é feito porque mesmo que não gostes de ouvir, são um bem de primeira necessidade!


(João Almeida) #39

A miséria social em que este país se tornou:


(João Almeida) #40

E se uma das melhores medidas para aumentar a taxa modal de utilização de bicicleta, fosse de facto aumentar o IMI?

O porquê de eu achar que sim, baseado nas intervenções do Pedro Bingre do Amaral (minutos 43 e 1:55):


(José Miguel Ramos Modesto) #41

Esse post é uma grande baboseira. Nem sei por onde começar para mandar isso tudo abaixo… não tem ponta por onde se pegue.
Não existe nenhuma evidência empírica de que aumentos dos preços dos combustíveis levem a recessões. Nada. Zero. Nickles batatóides. E a única possibilidade de alguma vez um forte aumento nos combustíveis ressentirem-se dessa forma na economia, é tão remota… que é apenas teórica.
Em economia, o petróleo está precisamente identificado como sendo daqueles recursos “falsas esperanças”… porque não existe nenhuma correlação entre extracção de petróleo ou produção de combustíveis, e riqueza de uma nação. Em vez disso o que tem acontecido ao longo da história, é países que quando encontram petróleo acham que ficaram ricos e descuram tudo o resto… consequência: permaneceram pobres…

Nem o preço dos combustíveis tem um impacto assim tão grande nos produtos. Queres mesmo saber qual a matéria-prima que mais pesa no custo do pão (por exemplo)? Encontras isso no Google, e vais-te admirar quando, depois dos custos das matérias-primas, dos custos com pessoal, dos gastos em energia no processo da panificação, e ainda depois de custos relacionados com a administração das panificadoras, ao custo de transporte sobra uma parcela muito, muito reduzida :wink:
O problema é as pessoas irem magicar e teorizar para o café da esquina e todos os demais ouvirem a porcaria que esses dizem!

Nunca vais ver nenhum economista com pensamentos dessa linha. Mas vais continuar a creditar o que ouves à mesa do café da esquina…


(Nuro Carvalho) #42

Esta zona do fórum é o “café central” :slight_smile: