Bicicleta dobrável 20''. A escolhida foi a BTwin Hoptown 320

bicicletas
Etiquetas: #<Tag:0x00007f27bedcaa68>

(Tiago Rodrigues) #1

Olá a todos.
Estou a pensar comprar uma bicicleta para começar a fazer o trajecto diário Campo Grande - Amoreiras - Campo Grande (cerca de 11km as duas viagens).
Por ter às vezes que me deslocar também de metro, acho que a melhor opção é uma bicicleta dobrável roda 20’’.
Gostaria de saber qual a vossa opinião acerca da B’Twin Hoptown 320 (Decathlon). Ou que outras opções tenho em termos de preço/qualidade (não ultrapassando em muito o valor desta).

Aproveito também para perguntar em termos de acessórios, o que recomendam e onde adquirir:

  • “cadeado”
  • Luzes

Desde já muito obrigado pelas vossas respostas.


(Pedro Sanches) #2

Olá @trkicks,

Para cerca de 11km sem subidas significativas e dado que consideras usar o metro, uma bicicleta dobrável parece-me realmente uma boa opção.

Se não pretendes gastar muito dinheiro (~200 €) as da Decathlon são uma boa aposta. Das dobráveis conheço um pouco melhor as Brompton e as Dahon mas aí já estamos a falar de gamas noutro campeonato.

Em termos de acessórios, falaste nos mais importantes. Um bom cadeado é importante. Esquece aqueles cabos de aço finos que se cortam com um alicate. Se puderes, investe num u-lock. Dado o valor da bicicleta, não precisas de gastar 80€ num cadeado, mas convinha que fizesses um compromisso. E não te esqueças que o facto de ser dobrável ajuda a não teres que a deixar sempre na rua. Na pior das hipóteses, podes levá-la contigo onde tiveres que parar (farmácia, supermercado, mesmo em casa, …).

Quanto às luzes, muito importante teres uma branca à frente e uma vermelha atrás. Esquece aquelas luzinhas que são um pontinho que mal se vê. Entre isso e não ter nada, venha o diabo e escolha. Por pouco dinheiro já consegues comprar umas luzes razoáveis que podem ser carregadas via USB, por exemplo.

Talvez na Cenas a Pedal ou na @VeloCorvo te possam dar mais uns conselhos e informações. @Bruno_Santos, @anabananasplit. Alguma ideia para ajudarem o nosso companheiro do pedal?


(Joao Santos) #3

“Kryptonite Keeper 12 Standard” para prender a bicicleta. É barato (~ €20) e suficientemente forte para não rebentarem com ele com facilidade. É só preciso verificar se abre bem no momento da compra pois uma das principais queixas relativamente a este u-lock é o fecho por vezes não abrir bem. Mas não é nada que não se resolva mantendo o mecanismo bem oleado internamente. O meu já funciona há alguns anos sem problemas.


(Ana P.) #4

Para esse percurso, o pavimento não é um problema, por isso a única coisa a ter em conta são as mudanças - a subida do el Corte Inglés até à prisão não é meiguinha. Essas 6 vel podem dar ou não. Luzes (BOAS luzes), contínuas, e um cadeado decente são o que lhe falta de fundamental. Eu recomendaria depois um porta-bagagem ou cesto ou algo do género para que a bagagem não vá às costas (por questões de conforto e segurança). Muito provavelmente encontras tudo isso na própria Decathlon.


(Tiago Rodrigues) #5

Muito obrigado pelas dicas @anabananasplit.
Já tinha também pensado na questão do porta-bagagens porque ando de mochila e já tinha lido que nas costas causa desconforto e maior transpiração.

Porta-bagagens vi este - http://www.decathlon.pt/porta-bagagens-100-20-id_8355487.html
Luzes - o que recomendam para frente e trás?
Cadeado - Tenho lido que os da Kryptonite em U são bons, onde costumam comprar?


(Ana P.) #6

Na Cenas a Pedal tenho lá uns kits de U-lock + cabo, da Kryptonite.


(António Pedro Figueiredo) #7

importante!! por vezes cruzo-me com uns grupos de btt na ciclovia do rio e parecem máximos de carro!
excelente para o mato, imagino mas terrível para os ciclistas que se cruzam com eles. Devem ter baterias acopladas para aquela potencia :slight_smile:


(Tiago Rodrigues) #8

Bom dia.
quando já estava decidido, que bicicleta iria comprar, eis que a Decathlon altera o site o vêm-me baralhar as ideias.
A minha opção era a “B’twin hoptown 320”, que tinha o preço de 199€ e havia em azul, cinzento e em branco e eu iria optar pela azul.
Agora mantém-se o mesmo modelo em branco e cinzento, mas a azul passou a chamar-se “Tilt 120” e para piorar as coisas, aparece uma “Tilt 120” em vermelho que acho muito mais bonita, mas que custa mais 30€ (229€)

As minhas questões são:
1- Alguém sabe se existem diferenças do modelo hoptown 320 para o Tilt 120 ou apenas o nome? No caso de haver diferenças quais são?
2- Será que a Tilt 120 vermelha é mesmo só mais cara por causa da cor?

No site escolho a opção de “comparar” e não encontro diferenças entre os modelos e também ainda não tive oportunidade de me deslocar a uma loja e perguntar lá.


(Manuel Reis Jorge) #9

Eu tinha a btwin 320 en aço , um pouco pesada. tenho há 3 anos a b fold 7 que é em aluminio, mais leve com a qual faço todos os dias Campolide- praça espanha- avenidas novas.
Depois de me terem roubado 4 bicicletas em 10 anos, optei pela vantagem da dobravel: nao fica na rua, sobe comigo até ao escritorio.
Tenho uma sacola lateral montada no porta bagagens e consegui colocar um amortecedor de assento.


(Tiago Rodrigues) #10

Aproveito para perguntar qual a sacola lateral que tens e o porta bagagens é o da Decathlon?


(Manuel Reis Jorge) #11

A minha bike ja tinha porta bagagens (a B Fold 7 deve ser agora a 720) e coloquei uma sacola B twin Viooclip.


(Tiago Rodrigues) #12

bom dia. Cá estou de volta ao tópico, para vos dizer que finalmente comprei a bicicleta e a escolha foi a B’Twin Hoptown 320.
Hoje foi dia de a estrear e fazer o meu primeiro #biketowork :wink:
Aqui está ela. Apresento-vos a "Vitorina"


(Pedro Sanches) #13

Muito fixe! :smiley:

Já partilhei no Sexta de Bicicleta.

E que tal? Sensações? O que achaste do percurso e da bicicleta em si? Já vi que andas munido de GoPro… :slight_smile:


(Tiago Rodrigues) #14

Foi mesmo muito fixe.
Alguma confusão com as obras no Jardim do Campo Grande e andei um pouco à “nora” na zona onde vai ficar o ginásio porque aquilo está tudo vedado até Entrecampos. Depois foi tranquilo e a única dificuldade foi a subida da Marquês da Fronteira, do El Corte Ingles até à prisão. depois disso faço apenas uns 800m sem ser em ciclovia, até ao trabalho.
A bicicleta porta-se muito bem e fiz a subida sem esforço excessivo.
Há agora algumas coisas a afinar, como a questão da mochila. vou mesmo ter de optar por um alforge. Hoje tentei prendê-la com um daqueles elásticos com grampos (tipo este mas maior), mas não correu bem e optei por levá-la às costas.

Em relação à câmera, é uma Xiaomi Yi, que já tenho há algum tempo e que serve perfeitamente.


(Tiago Rodrigues) #15

Aqui está o resumo (acelerado), dessa 1ª viagem. :wink:


(Andre Lopes) #16

Eu evito essa rampa todos os dias, a alternativa é ir pela “R. Eng. Canto Resende”, a rampa é mais “violenta” para a força motriz minhas pernocas :stuck_out_tongue: mas é muito curta, estamos a falar de uma rampa de 30 metros +/-

coloco o link para visualizar melhor o local :slight_smile: https://www.google.pt/maps/@38.732049,-9.1522282,3a,75y,226.84h,81.55t/data=!3m6!1e1!3m4!1sP2vvJpE4eq4E3CslfwlcOw!2e0!7i13312!8i6656

@trkicks fica a sugestão para algo não tão suave mais mais fácil de transpor. Depois dessa rampa é sempre em frente até campolide depois na Artilharia só virar para as Amoreiras. (meu caminho diário bike2work)


(Tiago Rodrigues) #17

@ecawireless o trajecto que faço é este https://goo.gl/oU7cmo
Para ir pela “R. Eng. Canto Resende” teria antes de subir também a Av. António Augusto de Aguiar, certo? Ou existe outra alternativa (estou em fase de estudos de rotas e todas as dicas são bem vindas).
É que a R. Marquês da Fronteira também tem a vantagem de ter ciclovia até ao tribunal.


(Pedro Sanches) #18

Ambas são alternativas viáveis mas eu prefiro subir pela Marquês da Fronteira como o @trkicks. É mais tranquila, só por isso.

By the way, posso partilhar o teu vídeo? Está bem fixe! :smiley:


(Tiago Rodrigues) #19

Sim, claro.
Estou a editar também o que fiz no regresso ao fim da tarde em que o vento contra, quase que me empurrava para trás.
:slight_smile:

Estou receptivo a todo o tipo de dicas em relação aos vídeos. A viagem dura cerca de 20 a 25 minutos e isso seria uma grande seca, por isso, coloquei a velocidade em 3x e eliminei o tempo parado nos vários sinais vermelhos que apanhei. Acham que está bom? Há partes que posso cortar porque não interessa? etc.


(Pedro Sanches) #20

Tudo depende do público-alvo e do teu gosto. :slight_smile:

Realmente ali depois da prisão é mesmo “chato”. E digo isto estando habituado a circular em estrada. Mas ver todo aquele percurso a ser feito tranquilamente até ali, choca um bocado não haver qualquer tipo de infra-estrutura ciclável dali às Amoreiras.

Alguém sabe se na rede prevista pela CML isso está previsto? Pelo mapa parece haver uma rede secundária a passar lá perto.