Carros verdes são como prostitutos virgens: simplesmente não existem!


(Rui Fonseca) #186

Acho que não será muito fácil ir buscá-lo ao centro do Sol.

No entanto devido às enormes pressões no centro do sol, este acaba por se fundir e libertar fotões que ao fim de cem mil anos escapam do sol e vêm parar à Terra. Podem ser usados por painéis solares para alimentar as baterias dos carros elétricos. Portanto, tecnicamente andam a hidrogénio. :smiley:


(Three) #187

:rofl::rofl::rofl::rofl: O que vem a seguir? Que a terra é plana ? :rofl::rofl::rofl::rofl:


(José Miguel Ramos Modesto) #188

A verdade é que não me chocava se te visse defender tal coisa… já te vi contrariar factos tão provados pela ciência quanto esse.


(Three) #189

Pelo contrário, tu já demonstraste nem saber o que é ciência!


(Aónio Eliphis) #190

@Three, sabes o que é fusão nuclear?

O comentário do @rf17 faz todo o sentido!


(Three) #191

Estás a brincar comigo? Faz parte da minha formação!


(Aónio Eliphis) #192

E qual é tua a formação?


(João Almeida) #193

https://www.motor24.pt/noticias/estudo-garante-que-eletricos-nao-sao-solucao-para-travar-alteracoes-climaticas/


(Manuel Reis Jorge) #194

Isso é desinformação do lobby do petroleo. Objectivo: que as coisas não mudem e continuar a queimar, entre outros , 14 milhoes de litros de gasoleo diarios em Portugal (!!!)


(Three) #195

Exacto, é tudo uma conspiração, e o pai natal vive no polo norte ! Existe quem prefira viver iludido, boa sorte !


(Aónio Eliphis) #196

O estudo é interessante, alguns pontos:

  • o estudo parece credível pois é de uma renomeada universidade alemã

  • comparam um Tesla com um Mercedes, e acho que a comparação não é inocente. O Tesla é americano e está repleto de marketing e propaganda, além disso não é o típico carro elétrico devido à potência instalada, e o Mercedes é alemão.

  • os carros no geral são um cancro civilizacional, mas um carro elétrico não emite poluentes locais na cidade onde há concentração de pessoas. E o estudo compara apenas CO2. A poluição de um carro convencional a combustão vai muito para lá do CO2.


(João Almeida) #197

(Luís L Belard) #198

Não há revista de automóveis (especialmente por aqueles jornalistas que adoram o barulho dos motores e o cheiro a gasolina queimada) que não rejubile com a notícia: um físico da Universidade de Colónia e um professor da Ludwig Maximilian de Munique apresentaram um estudo comparativo sobre a emissão de CO2 (o vilão do efeito de estufa, que finge esquecer o Metano vinte vezes pior neste aspecto) entre os motores de combustão e os eléctricos.
A indústria alemã também não deixará de dar um ‘like’ à notícia.
Claro que o estudo põe em causa (e bem) a origem da energia eléctrica de base fóssil e as baterias, mas curiosamente nem uma palavra sobre a libertação de nanopartículas. Se a emissão de CO2 fosse a única preocupação, então a utilização do etanol conseguiria uma redução significativa do dióxido e das partículas.
(Um à parte: em África, anualmente, há milhões de toneladas de cana de açúcar a apodrecer, para não estragar o preço do açúcar de beterraba que os agricultores suíços e os produtores de milho nos EUA cultivam de forma altamente subsidiada!).
Claro que a poluição de um veículo tem de ter em conta não só o seu fabrico, como a da fonte de energia que o faz mover (preferencialmente, embora não perfeita, a das renováveis), a que produz durante o tempo de vida útil (como lembra o Aónio no seu 3º ponto), tal como o descarte de todos os seus componentes.
A indústria do petróleo e, neste caso, a alemã do automóvel enquanto não rentabilizar 300% os milhares de milhões investidos ao longo de décadas nas fábricas (lá dentro e fora) que produzem motores de combustão, vai sempre investir em marketing para tentar vender o ‘produto’.
A única solução francamente melhor (se e quando lá se chegar) será a energia eléctrica obtida por fusão a frio (e nunca pelos tokamaks que apenas são um sorvedouro de biliões) e baterias que usem elementos fáceis de obter, como por exemplo o sódio, já testado com êxito em regime de protótipo.
E, last but not least, devemos produzir e usar menos, muito menos, carros particulares.,


(Three) #199

Ai sim, então quantifica lá qual a poluição emitida por um euro 6:

Com a introdução dos DPF, as emissões de PM10 e PM2.5 ficou ao nível das “emissões” de particulas dos sistemas de travagem, pneus e desgaste do pavimento, algo comum a veiculos sem motor de combustão

Convenhamos, as ramas, que é termo técnico correcto para a primeira fase da extracção de açúcar, não apodrecem, podem antes ser armazenadas por longos períodos.
Depois é estranho produzirem algo que não tenha comprador, em qualquer economia, em qualquer pais.

Portanto devem-se dizimar os agricultores europeus e americanos e assim explorar as culturas africanos de baixo custo, certo ? O subsídio à produção de açúcar de beterraba surgiu como compensação pela abertura dos mercados e redução das taxas alfandegárias ás ramas Africanas e Asiáticas. Portugal não foi excepção e à custa disso encerraram a única refinaria de açúcar de beterraba no país alimentada a 100% com produção nacional em Coruche. Com o encerramento da refinaria foram muitos os hectares de terreno plantados com beterraba que ficaram ao abandono ou com algumas culturas de girassol tal como todos os agricultores e industriais que dela viviam e que neste momento vivem no limiar da sobrevivência ou emigraram.

Convém conhecer a realidade dos factos antes de atirar postas de pescada do politicamente correcto! Parece que os pobres Africanos são mais importantes do que os pobres nacionais e portanto deveremos sacrificar nacionais para salvaguardar estrangeiros! Seria interessante saber quem é que metes em tua casa !

Tirando o facto de a “fusão a frio” não ter sido demonstrada efectivamente.

Pergunto que know -how possuis para afirmar isso ? Porque se tens uma arquitectura melhor divulga-a. Sabes, a fusão está atrasada também por culpa da retracção na investigação das centrais nucleares convencionais pois a tecnologia é semelhante!

É sempre fácil de fazer quando se está por fora da tecnologia, chama-se “cagar postas de pescada”!


(Three) #200

Física Tecnológica (Eng.ª) e já sabes demais…


(Manuel Reis Jorge) #201

O que é uma fonte de metano, gaz com forte efeito de estufa, diga se de passagem.

Acho que o futuro será um pouco de tudo. Hidrogénio, electrico , algum gaz …


(Aónio Eliphis) #202

No IST? Se posso perguntar? É que pareces, por vezes, desconhecer alguns conceitos de Física? Ou então dizes só para chatear, o que é plausível.


(Aónio Eliphis) #203

  • quantas carros em circulação respeitam o Euro 6?

  • desses, acreditas mesmo nos valores fornecidos pelos fabricantes?


(Three) #204

Uma fracção pequena, infelizmente. O verdadeiro problema está nos veículos antigos, em particular os de serviço público como taxis e autocarros que poluem mais numa razão de 100 para 1 do que um euro 6.

Depois temos os “chafurdas” que retiram os DPFs em oficinas ilegais e ninguém faz nada contra isso

Excluindo a fraude da VW,que incidiu apenas no NOx, e na qual querem inserir todas a marcas, sim. Os valores referidos são os obtidos dentro dos parâmetros de teste definidos pela norma, (que agora foi alterada). Mas mesmo apesar disso, os valores das emissões têm vindo a baixar ao longo do tempo.


(Manuel Reis Jorge) #205

O grupo da Mercedes e BMW tambem reconheceu fraude. portanto não há confiança nem nos “estudos”, nem nos números oficiais dos construtores.