Falta de respeito pelos peões

Com todo o respeito e sem acinte…
leio aqui sobre todas as “ofensas” que se fazem aos utilizadores ciclistas, e concordo que regras são para respeitar por todos. Respeito como peão e condutor automóvel, o ciclista já lá vai faz muito, muito tempo.
Mas porque não falar da falta de respeito diária por parte de muitos ciclistas? E se estou aqui é com alguma irritação por ter sido finalmente atropelado por uma sra, quando saía de um restaurante!!! e fiquei com vontade de ajudar a sra que se espalhou por cima dos carros estacionados?
Isto, meus caros, funciona para os dois lados. A falta de respeito por parte de muitos ciclistas, não a vejo aqui mencionada. Não ficaria bem?
Circulam por cima dos passeios a seu bel prazer, não cumprem código da estrada, arrogam-se malcriadamente o direito de circularem em todo e qualquer espaço reservado a peões, insultam e ameaçam fisicamente quem ousa chamar-lhes a atenção. É ver as descidas de rampa na estação CP de Algés. Não há vergonha.
Seria bom que promovessem uma campanha no sentido de sensibilizar os srs . ciclistas que passeios de rua não são pista a não ser para crianças e quando necessário. Uma campanha para promover a urbanidade e boa educação a quem faz gala de arrogância malcriada. O cidadão ciclista não tem mais direitos que qualquer outro, embora alguns pareçam pensar isso.
Era bom que todos falassem e discutissem este tipo de comportamento.
Obrigado e bons passeios em segurança

Caro Fernando,
Infelizmente a falta de civismo é transversal na nossa sociedade e podemos encontrar exemplos em todos os utilizadores da via pública.

Relativamente à sensibilização deixo aqui um link do artigo da MUBi de 2015 que apela ao respeito pelos peões, os utilizadores mais vulneráveis.

Respeito: 7 regras para com os peões

Deixo aqui também um post do nosso site exactamente em resposta a um email que recebemos em 2014 com as mesmas preocupações que indica

Ciclistas no Passeio - MUBi - Resposta a Email

6 Likes

Claro que há muito ciclista idiota. Mas não é comparável. O prejuízo que um automóvel pode fazer se não cumprir as regras é muitíssimo maior.

2 Likes

Já para não falar nos peões idiotas que passam a estrada fora da passadeira, e saem das portas de casas/establecimentos sem observar que podem colidir com outros peoes no passeio. É preciso não esquecer, que um peao a correr (e vejo muita gente a correr pla cidade) podem atingir velocidades que vao desde o s 10 aos 20km/h (consoante o atleta), já para não falar quando atravessam as passadeiras a correr, ou a olhar para o telemovel.

Em resumo: A condução defensiva não é só para automobilistas/ciclistas. Tambem os peoes devem zelar pela segurança deles próprios e dos demais utilizadores rodoviarios.

Portanto, se o @Beaufighter quer ajudar, pode-se juntar ao grupo fazendo pressão politica para reduzir a velocidade nas cidades e assim aumentar o sentimento de segurança dos ciclistas, para que estes possam passar a circular na estrada em vez de circular no passeio conforme indica. Eu próprio já tenho questionado vários “ciclistas de passeio” e a resposta é sempre a mesma: A velocidade na estrada é demasiado elevada para que se sintam seguros.

Como se não bastasse isso, os carros fazem imensa pressão sobre as bicicletas para andarem mais depressa ou sair da estrada, coisa que não ajuda a que estes deixem de circular no passeio.

Convido-o por isso a pegar numa bicicleta e a tentar circular na estrada em zonas como aquela onde morreu a Patricia Paradizo, para perceber as razões plas quais os ciclistas preferem faltar ao respeito aos peoes, do que morrer na estrada.

3 Likes

Caro António
Obrigado pela sua resposta e esclarecimentos.
Tem razão quanto à falta de civismo ser transversal. O país que vivemos e a gente que somos.
Quanto à utilização de passeios por parte de ciclistas, começa a ser avassalador. Concordo em absoluto com o cicloturismo embora ache que num país de modas, esta seja mais uma. Não nos estou a ver a deslocarmo-nos para o emprego a pedalar. Aliás, estatisticamente, gostaria de saber qual o número de utentes em cada ciclovia que as câmaras municipais fazem gala em construir seja como fôr seja onde fõr, veja-se aquela da CML que termina na rotunda do relógio com um sinal de proibição a velocípedes…O que vejo aqui em Algés é muito baixo mesmo no verão e fins de semana.
Não quero entrar em querelas espúrias gostaria só que fizessem mais campanhas a sensibilizar ciclistas para o cumprimento, também, das regras.
Argumentos que avançaram aqui, em resposta, como o de andarem em passeios porque os condutores andam em velocidade excessiva não colam, todos ocupariam os passeios e eu iria para a estrada, ou de que um carro fará mais estragos, sem dúvida, mas espero que não leve com uma BTT disparada num passeio aos 76 anos e quanto a preferências de faltar ao respeito seja a quem fôr, conduzo desde os 21, 3 multas por excesso de velocidade a 75-85…
Falta, em minha opinião uma grande campanha de sensibilização, seja por parte do estado, seja por parte das organizações ciclistas.
Cumprimentos e bons passeios

De facto era muito bom que o povo fosse mais cumpridor: Que deixassem de andar a pé nas ciclovias. Que deixassem de fazer turismo no meio da estrada, como ainda no outro dia vi a tirarem fotos para as redes sociais no meio da estrada. Que fizessem ciclovias que efectivamente servem as populações e nao sao apenas mais uma atracção turistica ou para lazer dos habitantes locais.

“Argumentos que avançaram aqui, em resposta, como o de andarem em passeios porque os condutores andam em velocidade excessiva não colam, todos ocupariam os passeios e eu iria para a estrada” → Convido-o vivamente a ocupar a estrada de bicicleta. e desejo-lhe a melhor das sortes.

E não digo isto a pensar na sua desgraça. Digo isto porque é uma actividade fisica que lhe iria trazer mais saúde e vitalidade, contribui para a redução da velocidade nas cidades, está a dar o exemplo certo aos outros de como se deve circular de bicicleta (em vez de vir para aqui reclamar sem conhecimento de causa, que é uma atitude profundamente hipocrita)

E com isto talvez se consiga mentalizar cada vez mais utilizadores a circular na estrada do que no passeio. Parece-lhe bem? Então: MAOS À OBRA!

Caso precise de ajuda, há várias pessoas neste forum que usam a bicicleta todos os dias para ir trabalhar. Eu por exemplo, já trabalhei no Porto e morei em Aveiro e ia todos os dias para o trabalho com a bicicleta. Terei todo o gosto em ajuda-lo.

Lembro-lhe ainda que o actual código da estrada nao obriga o ciclista a ter um titulo de condução válido e toda a legislação está feita de forma a que, aqueles que sao obrigados a saber o código da estrada devam ter atenção e reconhecer o facto de que os ciclistas podem não saber o código da estrada.

Tal facto não iliba os ciclistas em caso de acidente, mas faz com que os automobilistas devam aumentar o seu nivel de atenção na presença de ciclistas, dado que estes podem ter movimentos inesperados/ilegais.

Artigo 85.º

Documentos de que o condutor deve ser portador


3 - Tratando-se de velocípede ou de veículo de tração animal, o respetivo condutor deve ser portador de documento legal de identificação pessoal.