A uberização da mobilidade aumenta o impacto negativo do automóvel

O Webinar do ITDP já está disponível:

E também têm disponível um novo guia:

https://www.itdp.org/publication/ride-fair-framework-managing-tncs/

1 Like

No Webinar é referido que em Estocolmo as TNC pagam congestion charge tal como os táxis, mas em Londres não.

Pelos vistos, isso vai mudar a partir de Abril. Mas os táxis continuam isentos.

Quais foram as conclusões?

Por conclusões queres dizer pontos chave da contributo da MUBi?

Ainda está por fazer essa nota de imprensa.

1 Like

@Aonio_Lourenco estão aqui:

https://mubi.pt/2019/05/15/da-actual-dependencia-do-automovel-a-uma-aposta-efectiva-e-consequente-nos-modos-activos-e-sustentaveis-contributo-da-mubi-para-o-rnc2050/

Uberização. Com bicicletas!

https://www.metro-magazine.com/blogpost/734264/will-avs-save-the-world-history-says-it-s-no-sure-thing

Curiosa esta parte.

Meanwhile, it’s become harder for the companies to stand by their original traffic-taming claims. In 2018, Lyft collaborated with the Rocky Mountain Institute, a clean-energy think tank, to produce a study that concluded ride-hailing vehicles were “more efficient” than private cars in several cities. But after vociferous criticism, the claim that was later retracted. “We represented certain conclusions as definitive, when in fact they are not,” the Institute wrote.

Olhando para este último link:

A careful evaluation of the analysis and available data has led to the conclusion that the current range of uncertainty precludes being able to render an absolute answer regarding the relative impact of TNCs compared with personally owned vehicles. There is uncertainty in much of the data, but the data that most strongly influences the result includes:

  • The load factor in a standard (i.e., non-pooled) TNC trip
  • The load factor in the personal vehicle trips being replaced
  • Deadheading associated with personal vehicles (i.e., picking up or dropping off someone)
1 Like

Eu desde que descobri o quão rápido nos deslocamos em Lisboa através de Uber e afins que não quero mais saber de autocarros, metro, etc.

1 Like

Ride-hailing companies see a ‘massive market opportunity’ in replacing bus and subway rides.

1 Like
1 Like

A Uber chegou esta quarta-feira a Aveiro.

O plano de expansão inclui toda a área de ligação ao Porto, incluindo Santa Maria da Feira, Estarreja, Espinho e Ovar.

A Uber “disponibiliza viagens a mais de 60% da população portuguesa”.

A partir de hoje, a aplicação de viagens da Uber está disponível em Aveiro. A aplicação passa agora a disponibilizar a sua opção de viagem mais económica, uberX, “que trará aos habitantes e visitantes de Aveiro uma alternativa de mobilidade simples, segura e conveniente na cidade”.

O plano de expansão vai incluir cobertura da região de Aveiro até ao Porto, incluindo Santa Maria da Feira, Estarreja, Espinho, Ovar.

“Continuamos a reforçar o nosso compromisso com Portugal, o que coloca a Uber ao serviço dos portugueses nas 20 maiores cidades do país.” refere Mariana Ascenção, Diretora de Comunicação da Uber em Portugal.

“A expansão para a cidade de Aveiro reforça a operação da Uber em território nacional, trazendo consigo também mais oportunidades económicas para os milhares de motoristas que viajam com a aplicação nas cidades portuguesas. A Uber já cobre mais de 60% da população portuguesa”.

http://www.terranova.pt/noticia/sociedade/uber-chega-aveiro

1 Like

Esses gajos têm um lóbi bastante bom…

Choravam porque não havia as mesmas exigências para os TVDE, mas querem que os táxis sejam os únicos a ter todo o tipo de regalias, desde benefícios fiscais, vias prioritárias, espaços próprios para recolher clientes…

1 Like

Sendo aqui um fórum de bicicletas, a Uber é melhor que a Bolt, porque tem as bicicletas Jump e a Bolt tem … exactamente nada ao nível do velocípede!

1 Like

De facto é verdade, a Uber tem as bicicletas Jump e ainda tem trotinetas. O artigo referia-se apenas a TVDE