Capacete e ciclista urbano: usar ou não usar?


(Nuro Carvalho) #289

https://cld.pt/dl/download/caf4edf4-3a6e-4761-8782-af2438ab134f/capacete.mp4


(Rui Igreja) #290

Já diz o ditado “previsão e água benta, cada um toma a que quer” … ou não é “previsão” q diz?


(Pedro Sequeira) #291

perdi aquele tempo a escrever a pergunta, mas o joão não consegue responder, são 8 toques no teclado para responder a tudo, 8, 3 letras, 3 numeros e 2 espaço

e não me consegue responder, em vez disso muda o assunto, deflecte, vai para argumentos sobre quem é o vrdd ciclista que não interessam nada

porque pensa que é 1 disparate, blablabla, todas as recomendações p.ex. do copenhagenize, que até partilham videos a gozar com a lei estupida da australia, aqui:

é por isto, e por aquilo que escrevi antes que não considero a sua participação produtiva, e vou assinalar (depois de descobrir como) todos os seus ultimos posts até responder às perguntas que fiz, ou dar alguma argumento construtivo aos meus colegas do forum. considere a minha justificação feita


(João Pedro Abranches Freire) #292

Eu respondi…


(Pedro Sequeira) #293

esse video tá epico!!! :smiley:

só gostava de saber a metodologia daquele gráfico… mas deve ser global, baseado nos habitos de uma amostra qq,

bom bom era conseguir valores por km de utilização, ou por hora de utilização


(Herculano Rebordao) #294

Por aqui não há ciclistas, mas utilizadores de bicicleta no dia a dia.


(Mário Alex) #295

Nas minhas deslocações diárias acho que talvez 70% dos ciclistas/utilizadores de bicicleta vão com capacete. 50% completamente equipados como se tivessem numa prova e caramba não os critico, pelo contrário, fico feliz pela aquela opção de transporte, independentemente do que trazem na cabeça ou vestido.
Portanto, tenhamos capacete ou não, usemos licra ou não, biclas de €4000 ou de €40, com strava sem stava, com outros acessórios xpto ou sem acessórios… usemos a bicicleta e sejamos livres em usá-la como e quando quisermos. É isto, LIBERDADE, e que é uma liberdade necessária para o ambiente, para saúde, para economia, etc, etc.
Sendo que (e pelo que constato no dia a dia) o uso do capacete ser uma opção da maioria dos utilizadores, para mim é incompreensível, até pelo que e já foi referido centenas de vezes acerca da opção e justificação da não obrigação do uso de capacete nos outros países Europeus, que se proponha um estudo ou andar a discutir essa possibilidade com pessoas minimamente inteligentes e com uma ponta de senso. É tão ridículo…
Desculpem mas é.
Porra, andemos mas é de bicicleta e que a luta seja por uma maior harmonia e sensatez de todos utilizadores das estradas, dos passeios, do metro, das filas das finanças, das filas para o pão, etc, etc. Sejamos civilizados. Sejamos Humanos.


(Three) #296

Na Holanda andas a direito, em Lisboa sobes e desces, e as ciclovias que existem são perfeita aberrações, depois chama-lhe hostil.

Quanto ao capacete, se a sua obrigatoriedade evitar uma morte que seja, já compensou! Chama-se prevenção!


(Tiago Santos) #297

É curioso que desde que o assunto do capacete voltou a ser discutido (muito graças à ANSR) apareceram novos utilizadores no fórum que a única intervenção que tiveram foi para dizer que o capacete deve ser obrigatório.

Quem são estas pessoas? Será que dão a sua opinião ou que representam um lóbi?


(Pedro Sanches) #298

Estava a pensar exactamente nisso… quando vi que se juntou ao fórum há 22 minutos…


(Three) #299

O lobbie dos capacetes ?? Deve ser alguma piada não ?


(Three) #300

Estas pessoas são cidadãos como vocês que expressam opiniões, ou não podem ? A discordância incomoda muito ?


(Tiago Santos) #301

Fiz apenas uma observação que não deve tirar o foco da discussão.

Chamou-me a atenção o nome de utilizador Three e o facto de se ter registado minutos antes de intervir numa discussão que já vai longa.

Há muitos lobis: partidos que acham que se esbanja dinheiro em ciclovias, associações que se manifestam sempre que se quer reduzir vias rodoviárias e estacionamento na baixa de Lisboa, etc.

Todos são livres de dar a sua opinião. Mas quando num estado democrático se escondem atrás do anonimato é estranho.


(Romão Leiria) #302

“se a sua obrigatoriedade evitar uma morte que seja, já compensou!” - Sempre que leio/ouço isto fico com com os cabelos em pé. Se assim fosse obrigava-se a usar o capacete dentro dos carros. Obrigava-se a usar o capacete sempre. Proibia-se os carros de existirem. Haveria-se de poupar muitas mais mortes. A vida é assim… gerir a probabilidade de morrer e não deixar de viver a vida.


(Pedro Sequeira) #303

Fogo, 2 dias de descanso do freire e aparece logo outro xD

@Three , há um conceito importante que não está ainda fechado, que é o facto de os automobilistas serem menos cuidadosos com ciclistas com capacete

parece estranho à partida, mas basta pensar nesta situação.

vamos fazer atletismo para um parque, e numa zona mais estreita temos de passar junto a um jovem que olha noutra direcção
se por acaso ele se mexer na pior altura podemos ir contra ele, mas pronto, a probabilidade é pouca, e se lhe acertarmos não deve acontecer nada de mais

ainda assim podemos abrandar e tentar dar espaço

mas, se em vez do jovem for um velhote, as consequências de um encontrão são certamente mais graves, assim, quem não dá ao velhote mais margem do que no caso anterior, quem sabe até passando a andar por ele?

e quem diz um velhote diz uma criança pequena

com os carros e os ciclistas é o mesmo, um estudo até mostrava que as senhoras ainda tem mais margem :slight_smile: se calhar a coisa mais segura que podemos ter na cabeça são uns belos cabelos compridos :slight_smile:


(José Miguel Ramos Modesto) #304

Epa não vou passar outra vez pelo mesmo… ainda para mais com um indivíduo que nem é ciclista (que raio anda aqui a fazer??? WTF!), e inicia a sua estadia aqui com hostilidade.

Enfim, está cada vez mais claro que a generalidade das pessoas que querem a obrigatoriedade do capacete nem ciclistas são, não passam de automobilistas frustrados com o tempo de vida que perdem em filas de trânsito e com o isolamento que a chapa de metal lhes proporciona da vida e da cidade que existe para lá dessa chapa, que não conhecem bem a sua região (como podiam? com uma barreira de metal a separar-lhes dela…) nem as realidades alternativas que existem para lá da fronteira lusa.
Se em Lisboa ando em sobes e desces, vou ali e já venho…


(Three) #305

Esse é o princípio aplicado a medicamentos, brinquedos, segurança automóvel etc. Se fica de cabelos em pé, problema seu , arranje um pente.

Mas garanto-lhe que sou ciclista há mais de 30 anos e possuo licença de condução de velocípedes sem motor, algo que vocês desconhecem por completo


(Pedro Sequeira) #306

se esse principio fosse aplicado aos automóveis então não haviam automoveis, salvava-se pelo menos 1 vida certamente

ps: tenho um vw golf II que nem tem cintos atrás, e é perfeitamente legal conduzir de carro cheio. vou sinalizar o seu post para não ser mostrado a toda a gente porque contém informação incorrecta/fora de contexto

pps: epa, eu gosto tanto de fazer de advogado do diabo, sinceramente doi-me ver os argumentos tão fraquinhos que são dados para defender capacetes, seguro, carta, obrigatoriedade de usar ciclovias, etc etc, às vezes quase que me apetece mandar 1 ou 2 para tornar a discussão mais interessante, que isto assim nem dá piada


(Paulo Ans) #307

Por acaso estava a pensar onde haveria estudos sobre a falsa sensação de segurança dos dispositivos preventivos.
Aqui à uns anos, alguém ligado à segurança automóvel dizia que em vez de air-bags os carros deveriam ter uma lança que matasse o conductor imediatamente em cada acidente. Dessa forma, defendia ele, garantidamente todos conduziriam com a consciência do potencial mortífero de conduzir, em vez de acharem que estão seguros se embaterem a 120Hm/h por terem um carro com airbags. A falsa sensação de segurança é a maior causa de acidentes.
Piada à parte, eu uso capacete, e sou contra a obrigatoriedade de o usar.
Uso, porque as zonas onde ando, entendo que é mais seguro.
Onde entendo que não preciso, não uso.
E também eu tenho carta de velocipedes.
Obtida ao 17 anos de idade. Tive de responder a perguntas e fazer um oito. LOLOL
Hoje ando quase nada. Mas ainda assim, preservo a alma debaixo da gordura toda.
No entanto quando andava regularmente, também me espetava com alguma regularidade. Nunca, em nenhum dos muitos acidentes que tive, aleijei a cabeça. braços, pernas, mas em particular as mãos. As mãos, mais, ou menos, mas quase sempre. por isso também uso luvas.
Assim, acho que deveria ser obrigatório o uso de luvas… onde estão os gráficos sobre a necessidade de utilização de luvas no ciclismo e na cozinha… áh pois… (se algum dia alguém me oferecer uma luva de malha para cortar cebolas, espeto-lhe com isso nas trombas)
E de certeza que trabalhar com facas é mais perigoso que andar de bicicleta. E da mesma forma quem trabalha num talho e quem «bicícla» profissionalmente, usa as respectivas protecções adequadas à sua profissão.
Não vou-me alongar mais. Boas pedaladas com e sem capacete mas sem fundamentalismos religiosos. (e bom 2017)


(Pedro Sequeira) #309

onde é que eu falei em orgulho? troco por 1 tesla na boa…

também não disse que todas as medidas de segurança são treta, só estou a argumentar que o seu ponto de: “se a sua obrigatoriedade evitar uma morte que seja, já compensou! Chama-se prevenção!” fazer muito mas sentido neste caso, pois os cintos sim, estão provados que são bons

e mais, se me obrigarem a meter cintos no carro, e eu não quiser, ou deixar de andar porque isso me chateia, bónus para a sociedade, nas bicicletas é o oposto.

Africa? :slight_smile:

vou dar report neste também porque está fora do contexto e não responde a nenhum dos argumentos de quem está a debater consigo (eu, o ze, o romaosl…)