Estacionamento automóvel no coração da cidade!

aveiro
Etiquetas: #<Tag:0x00007f315e6d8c88>

(Rui Igreja) #1

Quando cidades por todo o mundo retiram espaço e privilégios ao automóvel nos centros urbanos, a Câmara Municipal de Aveiro, contra o que são há décadas reconhecidas como boas práticas de mobilidade e gestão do espaço público, prepara-se em pleno sec. XXI para construir um PARQUE DE ESTACIONAMENTO PARA AUTOMÓVEIS NO CORAÇÃO DA CIDADE!!!

http://www.noticiasdeaveiro.pt/pt/47903/aveiro-presidente-da-camara-afasta-referendar-projeto-do-rossio/


(Pedro Nóbrega Da Costa) #2

se construissem esses estacionamentos com objetivo de pedonalizar praças e ruas que hoje sao dedicadas ao automovel, ainda se percebia

pior é que muitas vezes a superficie fica igual e os subterraneos ficam vazios e apenas usados em ultimo caso, ja que ninguem os quer pagar

nesse caso parece que o objetivo sempre é pedonalizar a praça… mas ate diz que se nao obterem financiamento podem avançar sem o estacionamento, por isso ainda há esperança :stuck_out_tongue:


(Three) #3

Ai que escândalo. o automóvel agora é o Demónio Incarnado?


(João Almeida) #4

O demónio mata menos gente.


(Three) #5

Ao contrário da intolerância e radicalismo


(João Almeida) #6

Estás a falar dos intolerantes e radicalistas que só aceitam andar de automóvel?


(João Almeida) #8

Conheces algum desses betinhos?
Diz-lhes para virem aqui para o fórum, gostava de conhecer o ponto de vista deles.


(Three) #9

Ora, basta usarem um espelho …


(João Almeida) #10

Eu tenho e uso automóvel @Three. Como te disse, se conheceres alguém, diz-lhe para vir aqui para o fórum.


(Pedro Sanches) #11

Idem. Eu tenho e uso automóvel.

@Three, com tanta conversa que já aqui vai, eu tento explicar de outra forma: possuir automóvel particular vs. fazer um uso abusivo e intensivo do automóvel particular.

Percebes a diferença? Todos nós gostaríamos de poder fazer como em Copenhaga e ir de transportes ou bicicleta para todo o lado. Sabemos que em Portugal, que não é só Lisboa e arredores, é diferente e ainda não temos uma rede de transportes públicos e vias cicláveis eficientes. A isso junta-se o urban sprawl e os preços da habitação dos últimos anos e está o caldo entornado.

Ainda não podemos todos, de um dia para o outro, vender os carros e ser “verdes”. Mas podemos, muitos de nós (não todos), certamente ser comedidos na utilização que fazemos do automóvel particular e facilitarmos a vida a quem realmente não tem mesmo outra hipótese que não se mover de carro para todo e qualquer lado.

Serve assim ou ainda é uma visão demasiado demagógica ou betinha?


(Three) #12

Já por cá andam, uns que dizem poder viver sem automóvel (enquanto puderem contar com o dos outros)


(João Almeida) #13

Então mas o facto de haver pessoas que podem viver sem automóvel, também é bom para nós enquanto peões, ciclistas, utilizadores de transportes colectivos ou condutores de automóvel.

Mas não foi isso que disseste. Tu disseste que há por aí betinhos que não têm carro e que não te deixam ter.


(Pedro Sanches) #14

E ainda bem. Gostava de um dia poder dizer e fazer o mesmo: eliminar a dependência do automóvel particular.

Até lá, resta-me agradecer a todos aqueles que vivem sem carro e prometer-lhes que estou empenhado em tentar o mesmo, seja pessoalmente, seja de uma forma mais global pela via do ativismo e da mudança de paradigmas e mentalidades.


(Three) #15

Infelizmente não podes mudar a geografia :smile:


(João Almeida) #16

Infelizmente é mais fácil resolver a questão da geografia do que a das mentalidades.


(José Miguel Ramos Modesto) #17

Também tenho carro e conduzo. Simplesmente apenas o uso quando não existe realmente mais nenhuma alternativa viável, em vez de usar e abusar sem consciência da minha acção.
Quem é mesmo o radical aqui?

ps.: às vezes sou muita burro, não percebi a questão da geografia… qual é a relação, mesmo?


(Luís Marques) #18

Vós sois masoquistas, certamente.

Agora a sério, não há NADA que algum de nós tenha dito alguma vez que tenha feito o @Three desviar-se um milímetro das suas ideias. Quanto muito só serviu para ele se entrincheirar ainda mais nelas.

Não tem sido problema de tipos de argumentos diferentes ou estilo de abordagem, o tipo não desata da sua.

Ele é que tem razão e nós todos somos uma cambada de betinhos fachos privilegiados, pronto.


(Alexandre Climber) #19

No meu tempo os betinhos andavam de carro, e os “pobres” andavam de
autocarro.

Agora os ricos andam de bicicleta e os pobres de carro?
Hummm nao entendo muito bem…
Será que ficam ricos por nao andar de carro? E os pobres mais pobres por
usar o carro?

Ajuda me three. Estou a ficar baralhado…

escreveu:


(João Almeida) #20

De vez em quando tem piada ouvir as bocas do @Three.
Temos de admitir que não é fácil encontrar alguém tão criativo na defesa do pópó.
Acho que a ACP está aqui a perder um bom elemento para a equipa de comunicação e marketing.


(Three) #21

Eu não defendo o “popó”, apenas não tendo alternativa critico quem queira criar obstáculos sem alternativas realistas que podendo aplicar-se perfeitamente a quem pega no carro para fazer 2 km, penaliza quem tem de fazer 40 ou 50 km colocando-os todos no mesmo saco.