Estacionamento automóvel no coração da cidade!

aveiro
Etiquetas: #<Tag:0x00007f315c2b5f90>

(Aónio Eliphis) #86

Boas @ZeM , neste ponto, com o devido respeito, o @Three tem razão.

Quem implementou pela primeira vez as ciclovias em massa foi o regime nazi, para promover o “carro do povo”. Na altura, os ciclistas, tal como muitos peões, andavam simplesmente no meio da rua como se anda ainda hoje nas aldeias, e começaram a surgir vários problemas de sinistralidade. Então, para diminuir as fatalidades, ostracizaram-se todos os meios de transporte, particularmente as bicicletas.

O que o trol não compreende, é que os nazis fizeram-no apenas para promover a indústria da VW e assim conseguir o milagre económico nazi; não criaram ciclovias para melhorar a qualidade de vida dos cidadãos, muito menos para melhorar a mobilidade dos cidadãos. Foram também os nazis dos primeiros a obrigar certos prédios a ter garagem, para, mais uma vez, promover a indústria automóvel. Foram os alemães também os primeiros a inventar a semaforização rodoviária, exatamente pelos mesmos motivos, aumentar as velocidades e promover o automóvel. Numa cidade de apenas bicicletas e peões, os semáforos são lixo tecnológico.

O @MarioJAlves tem uma excelente apresentação onde mostra o mesmo caso, mas para os peões.

A sério, lê apenas esta posta curta do Passeio Livre


(Three) #87

Já as cidades Romanas tinham regras de circulação de veículos e peões e dividiam o tráfego em peões, cavalos e rodados. Também já possuíam passeios para peões, sentidos fixos de circulação e barreiras de tráfego.

Portanto os Romanos “segregavam” peões" :rofl:

Hilariante como alguém pode defender a anarquia de circulação de pessoas e veículos numa cidade que se quer organizada com base em argumentos sem nexo


(Aónio Eliphis) #88

Esses passeios não eram para segregar peões, mas para evitar molhar os pés, perante a drenagem de águas pluviais, numa altura em que não havia esgotos.

Não acertas uma!

image


(José Miguel Ramos Modesto) #89

Certo, mas referia-me ao objectivo com que são construídas actualmente. Não à origem histórica.


(Three) #90

Caro, os Romanos “INVENTARAM OS ESGOTOS” :rofl:

Não tentes moldar a historia para justificar os teus delírios !! Tu sim devias estudar a história com atenção antes de partires logo para o fundamentalismo do costume!


(Aónio Eliphis) #91

Inventaram-nos, mas não os tinham em todo lado. E se reparares na tua foto, a via é inclinada.


(Three) #92

Opiniões não alteram a história. Aliás a criação de passeios pedonais foi exactamente sinónimo de liberdade e lazer durante o séc XVIII e XIX ao contrário dessas ideias anarquistas pseudo-revolucionárias. Já na época grega e romana foi reconhecida a necessidade de organizar as cidades com separação de tráfego pedonal e rodado pois era a única forma de funcionarem eficientemente. Entretanto há quem tenha ficado no paleolítico.


(José Miguel Ramos Modesto) #93

Aqui cometes uma falha grave… tu é que estás a tentar alterar a História. O Aonio limitou-se a dizer a verdade de que os esgotos não haviam em todo o lado. Isso é caro, pah! Isso basicamente havia em Roma e não chegavam a toda a cidade… é provável que se ficasse por áreas mais nobres.

E esses passeios que falas… mais não eram do que jardins e parques que faziam nos centros da cidade. Recebiam essa designação porque era onde as pessoas iam passear. Passeio vem de passear. Aquilo que é hoje a Avenida da Liberdade em Lisboa, designou-se outrora de Passeio Público. E embora tivesse essa designação, não me parece que cavalos e carroças estivessem proibidos de circular por lá… as pessoas circulavam livremente. Fosse nos chamados passeios públicos, ou em qualquer rua.


(Aónio Eliphis) #94

O trol é tão trol que não entende o básico. Que o passeio era feito para passear, não para segregar, tal como um jardim tem trilhos de pedra sobre a relva por onde se caminha. Este era o Passeio Público onde hoje são os Restauradores.

download

Reparemos como o trol dá um salto de mais de mil anos. Deixaram de ser os Romanos os criadores dos passeios para serem os aristocratas do século XVIII.


(Three) #95

É realmente escusado discutir o que quer que seja com ignorantes. Muitas era a cidades romanas que tinham rede de esgotos, mas não interessa, os passeios são para segregar pessoas segundo um plano maléfico dos construtores de automóveis, pronto. Ignorantes felizes é o que se quer!

Troll é a tua avó. Estou farto dos teus insultos imbecis. Fica pela terra dos cogumelos mágicos e não voltes


(Aónio Eliphis) #96

Duas frases autoexplicativas, que sintetizam a retórica de um trol.


(José Miguel Ramos Modesto) #97

Depois não te admires quando os teus comentários aparecem denunciados. Tu limitas-te a contrariar o Aónio que diz que aquela imagem que postou eram passeios feitos para escoar melhor as águas residuais sem que as pessoas tivessem que cagar todas… chamando-nos de ignorantes. Pah, consegues demonstrar de alguma forma que eles não aplicavam aquela solução? Ou afirmar que os outros é que são ignorantes é o teu melhor argumento?

O império centrava-se em Roma. Até podia haver esgotos noutras cidades… mas não me parece minimamente que fosse algo muito estendido a ponto de não procurarem outras soluções mais baratas e práticas, em que essas sim podiam aplicar de forma mais exaustiva.
Daqui a bocado estás a dizer até que já haviam semáforos!


(Rui Martins) #98

Toda a gente parece estar a fazer um esforço para eliminar os qualificativos pessoais, parece-me Aonio_Lourenço que são dispensaveis as continuas referências a quem é “troll” ou não é, limitemo-nos a argumentar


(Aónio Eliphis) #99

é impossível argumentar com um trol.

Recomendo-te que leias


(José Miguel Ramos Modesto) #100

Um troll será sempre um troll… quanto a isso, pouco ou nada há a fazer. O poder da mudança está nas mãos do próprio troll. No limite podia-se desinfestar o espaço. Eu cá não admitiria ratos em minha casa.


(António Pedro Figueiredo) #101

Com essa frase és tão rato como ele


(José Miguel Ramos Modesto) #102


Foi uma força de expressão. Ratos numa casa não me parece bem, nos mesmos moldes em que trolls num fórum não me parece bem. Somente isso. Depois cada um tira as suas ilações.


(Pedro Nóbrega Da Costa) #103

se nao alimentarem o troll ele morre com o tempo :slight_smile:


(Rui Igreja) #104

A população de Aveiro reivindica que a autarquia inverta as suas políticas de mobilidade focadas no paradigma ultrapassado da dependência da utilização excessiva do automóvel:

«Comerciantes e moradores pedem à Câmara “que tire os carros do centro histórico”, em vez de levar mais tráfego para a zona da Beira-Mar.»


(Rui Igreja) #105