World statistics of Car Costs


(Three) #227

O aditivo do gás é um aromático e por isso só precisa ser adicionado em quantidades muito pequenas, mas é queimado no processo de combustão e por isso ninguém o sente em condições normais de combustão.
O que pretendes é um aditivo óptico que sobreviva ao processo de combustão, algo rebuscado. Até os aviões acrobáticos usam um gerador de fumo separado para não interferir no motor.


(Three) #228

São precisos mais parques junto às estações de comboio.

A ganância dos municípios tem-nos levado a taxar o estacionamento junto às estações de comboio o que acaba por dissuadir a utilização de comboios, afinal tem-se de pagar duas vezes, o parque e o transporte.


(Nuno Fernandes) #229

Sim de acordo, desde que quando se diz Lisboa signifique AML e não Lisboa Lisboa.


(José João Leiria Ralha) #230

Parques de bicicletas, espero…

As estações de comboios não ficam (ou devem ficar) em locais centrais onde simplesmente não há espaço?

Uma coisa é a linha recente da Fertagus, outra são as centenárias de Sintra, Cascais, VFX… Onde é que se constrói aí estacionamento para dezenas de milhares de automóveis, e a que custo (financeiro e de desperdício de espaço)?


(José Miguel Ramos Modesto) #231

As estações de conheço têm espaço zero… a não ser que estejam a pensar mandar prédios abaixo ou fazer subterrâneos com vários pisos e… e… ser mais uma vez o Estado a pagar. Sempre o Estado…


(Aónio Eliphis) #232

O óbvio! Que quem não tem carro, anda a pagar através da carga fiscal a política de AE e alcatrão para cada aldeia!

E o artigo do Público que citas com referência ao estacionamento é sintomático. Há gente a dormir nas arcadas ao abandono, e o erário público dedica-se a subsidiar estacionamento para a porca pequena burguesia motorizada lisbonesa, que acha que tem pleno direito a ocupar 12 m² de espaço público de borla. Venham a Amesterdão, onde há 6 anos de lista espera por um dístico para estacionar o carro na rua, e o mesmo custa pelo menos 500€ por ano. Em parques pode chegar aos 5000€ por ano. Mais um motivo para se ser liberal, nada contra carros, mas se a porca burguesia quer ter carros que pague o verdadeiro custo da lata e da sua utilização; que alugue lugares em parques privados com os valores de mercado. Porque raio - isto deixa-me mesmo indignado - tem de ser o erário público a financiar estacionamento via EMEL?


(Aónio Eliphis) #233

De facto, admito, rebuscado, mas tecnicamente possível. Se a queima normal gera fumo, que nem é indoloro nem incolor, por que a combustão num motor de combustão não poderá fazer o mesmo?


(Aónio Eliphis) #234

@Three

https://www.quora.com/Is-there-a-gasoline-additive-for-gasoline-engines-to-make-black-smoke

There is one thing that comes to mind that produces a brilliant smoke cloud, and that’s Seafoam. Pour some of that into your tank and you’ll get a bunch of white smoke coming out of the tail pipe. You could technically do it how stunt planes used to do it.


(José Miguel Ramos Modesto) #235

Este é um país onde toda a gente condena os subsídios, apoios e desvarios que o Estado dá aos mais variados sectores da sociedade, desde apoios sociais, à banca, ao fucnionalismo público e até associações ou outras entidades de cariz duvidoso. Mas quando o subsídio é dirigido a nós (caso paradigmático do automóvel) já ninguém vocifera nem contesta que o Estado subsidie o que quer que seja. Pimenta no cu dos outros é refresco.

Eu cá preferia um Estado com menor carga fiscal, e eventualmente maior investimento em transportes públicos, educação e investigação. Mas vamos investir em transportes públicos para quê? Para ter os autocarros bloqueados no trânsito por causa do congestionamento desenfreado, e pior, do estacionamento ilegal contra o qual ninguém faz nada?


(Three) #236

Não, parques para todos !

Como queres que se promova o uso do comboio se não criares acessos para chegar às estações ?

Se esses acessos não existirem ninguém se dará ao trabalho!

Essas são as estações de destino onde os passageiros saem, não as estações onde entram!

Simples, arranjem soluções senão os carros continuam a entra na cidade. Preferes “desperdício de espaço” ou desperdício de recursos energéticos ?

Se existisse um governo não corrupto com tomates e inteligência que se preocupasse a sério com o ambiente criava silos auto nas estações de “recolha” e expandia a ferrovia /TRAM por tudo o que é parque empresarial pois este é o grosso da origem do tráfego automóvel. Mais, deixava de autorizar o licenciamento de edifícios de empresas, serviços públicos, de escolas e faculdade em locais onde a rede de transporte público não suporte pelo menos 70% dos cidadãos que trabalhem/estudem nesses locais. As ciclovias seriam um add-on pois não servem para todos por diversas razões e nesse sentido são discriminatórias.


(Three) #237

A presença de cor no escape de um motor de combustão significa tão somente que existem partículas em suspensão tão nocivas como as que se pretendem eliminar.


(José João Leiria Ralha) #238

As bicicletas aumentam exponencialmente o raio de alcance de uma estação, de 1 km a pé para 4-5 km — em área, de 3,14 km² para 50,24 a 78,5 km². Certo?

Isso e transportes públicos até lá.

Mesmo os parques de estacionamento que existem em sítios como o Senhor Roubado (e o Metro leva muito menos gente por composição do que os comboios) representam uma pequeníssima
fracção dos passageiros…

Na maior parte das linhas que servem Lisboa (todas as da CP, mais que centenárias), não tens espaço simplesmente para fazer parques de estacionamento. O que gastarias a fazer silos ou catacumbas para conseguires um acréscimo de 5% de passageiros em relação às dezenas de milhões que já são transportados todos os anos seria muito mais bem gasto nos próprios TP (e ciclovias e parques de bicicleta).


(Three) #239

Sim, certo .

Que típicamente são exíguos com horários que nunca estão sincronizados com os comboios.

E no entanto o metro anda sempre a abarrotar na hora de ponta

Duvido que o acréscimo fosse tão reduzido.Mas mesmo que fossem 5% , seriam 5% de emissões a menos em percursos de dezenas de Km, e isso dificilmente pode ser contabilizado.

É escusado gastar em TPs se os passageiros não os conseguirem utilizar a menos qu esejam gastos em mais estações devidamente planeadas.
Caso contrário estás a excluir da solução todos os que vivem a mais de 5 km da estação.

A solução rodoviária para recolher passageiros para a estação é ineficaz. Tens carreiras de autocarros que percorrem tudo o que é terrinha para rentabilizar o percurso e no final demoras horas a chegar ao destino.


(João Almeida) #240

The top income tax in Denmark is almost 60%. We have a 25% sales tax and on cars the excise duties is up to 180%.


(Aónio Eliphis) #241

Nope, partículas tão nocivas como as outras, mas pelo menos visíveis por forma a que as pessoas se pudessem afastar. Porque é que achas que a evolução de quase todos os animais, e particularmente dos mamíferos, por exemplo, nos providenciou com olfacto? Ademais e a título de exemplo, sabes porque motivo os gatos enterram os dejectos? Para afastar predadores, felinos de porte maiores, evitando assim a sua deteção via olfacto.

Ou seja, a visão e o olfacto são sentidos que funcionam de forma muito primária: tivesse o fumo de escape cheiro desagradável e cor, e as pessoas poderiam afastar-se do mesmo. Mas isso traria um problema político enorme, porque as pessoas veriam o fumo de forma clara nas suas frentes.

É o famoso paradoxo das centrais nucleares. Esta imagem é propagandeada por ambientalistas “manhosos” para assustar as pessoas, ignorando a maioria das pessoas que o “fumo” que aqui se vê, é apenas vapor de água. Mas vê-se! É visível! É marcante! E é a imagem que o comum dos mortais associa a centrais nucleares, porque a maioria dos mortais nada percebe de física nuclear nem muito menos de tratamento de resíduos nucleares.

Já nos carros, pouco se vê, logo, não causa celeuma, e quando se vê, como distingue o comum dos mortas o “fumo” da foto anterior deste “fumo”?

Para o comum dos mortais, tudo o que não seja límpido, é “fumo”! Seja vapor de água, monóxido de carbono, ou gás sarin!


(Aónio Eliphis) #242

@jmpa o autocustos confirma :slight_smile:

A Dinamarca aparece no topo nos custos


(Three) #243

Não alinho nessa teoria da conspiração. Já existem demasiados desafios técnicos para um combustão “limpa” e eficiente pelo que se dispensa mais uma paranóia!

:rofl: Torres de arrefecimento existem em centrais nucleares, centrais a gás e a carvão. O vapor de água só é visível quando a sua temperatura desce abaixo do ponto de orvalho, porque vapor de água também é invisível.

Esse “fumo” que vês no escape também é vapor de água. Uma combustão limpa e eficiente não emite fumos visíveis. Tentar colorir os produtos da combustão vai apenas aumentar a poluição!


(João Almeida) #244

Incrível como nos 5 anos mais recentes (2012-2017), mais do que duplicámos a frota existente.

https://www.pordata.pt/Portugal/Veículos+matriculados+total+e+por+tipo+de+veículo-3103


(Three) #245

Isso é falso. Muitas das novas matrículas são de veículos que vêm substituir outros mais antigos e sabemos que o abate de matrículas é muito lento a ser contabilizado!


(José Miguel Ramos Modesto) #246

Olha que na minha rua notei bem o aumento do número de carros. Já antes eram muitos, e até é uma zona bem servida de transportes públicos.

Conheço casos onde há mais veículos motorizados numa casa que pessoas. Como é que podemos depois dizer que se estaciona em cima de passeios por falta de estacionamento? Será mesmo falta de estacionamento??