Descer descida íngreme

Não sei se estou no lugar indicado para perguntar, mas aqui vai.

Tentei ir do trabalho para casa de bicicleta e fui a uma página de cálculo de rotas, que me indicou seguir por https://goo.gl/maps/XLEVr5jaRuJ2 que é uma descida íngreme no Bairro da Cassapia da Quinta da Serra, na Rua 20 de Abril do Olival Basto, que até tem um sinal de descida com inclinação de 22%! Acresce ainda que embora seja uma estrada estreita, para passar um carro por outro, a circulação é nos dois sentidos e feita em calçada de paralelo!

Até há várias referências à mesma na cadeia Subidas bem inclinadas doutro fórum:

Pois até ao saír da bicicleta, quase me via a andar aos tombos, de tal declive que aquela rampa tem! E trouxe-a à mão!

Além do mais a terminação no fundo cruza com outra rua apertada com paredes por baixo, onde foi preciso fazer uma curva (com a bicicleta à mão) muito apertada para virar à esquerda!

É demasiado estúpido tentar fazer o trajecto em cima da bicicleta ou têm alguma dicas de como descê-lo em segurança?

Obrigado desde já.

Olá!

Desconheço esse trajecto mas o que faço numa descida desse género é colocar o corpo para trás (o rabo em vez de estar no banco, vai mais para trás para fazer contrapeso - acho que é assim que se diz) e vais travando.

Pneus cardados e travões de disco. Com chuva é para esquecer!

1 Like

Pneus cardados aqui não fazem nada.

Entra com calma na descida. Coloca o corpo mais para trás como disse o Cláudio (mas também não será preciso grande acrobacia), e usa os dois travões. Há malta que, por medo de dar uma cambalhota nessas descidas, só usa o travão de trás. Nunca faças isso! É meio caminho andado para não conseguires controlar a velocidade…

1 Like

Esqueci-me de dizer que a montagem que tenho na bicicleta é pneu de montanha à frente e estrada atrás, os dois já a meio-uso!

Já andei de bicicleta de montanha em muitos caminhos de terra por esses montes fora e nunca apanhei um caminho onde conseguissem passar carros que não se passasse de bicicleta.

A dificuldade será sempre travar caso ganhes velocidade, mas se fores devagar é completamente tranquilo.

1 Like

Pois eu já lá tinha descido antes de carro e jurei para nunca mais! Não deve haver rua pior em Lisboa e arredores para um carro e eu não tinha necessidade nenhuma de passar lá!

Se eu já tivesse ideia antes de como o sítio era, nunca lá me tinha posto a descer de carro!

Só se for na tua terra :yum:

Na terra já fazem qualquer coisa.

É para isso que servem pneus cardados…
Servem para ganhar tração em piso que é mole e que se deforma à passagem dos veículos. Não me parece que seja o caso de empedrado…

Quem estiver habituado a fazer BTT até faz essa descida a 60 km/h. É perigoso? É! Mas faz-se! Não se pode parar a meio e deve ter-se a certeza de não ter obstáculos pela frente (difícil). Outra maneira mais simples é aplicar os travões de disco levemente durante toda a descida, equilibrando o de trás com o da frente, e não deixar ganhar velocidade! Agora, a título de curiosidade: como é a viagem de regresso? :confused:

Estou naquele fórum a pagar uma refeição à primeira pessoa que eu veja a conseguir subir e descer a rua de lés-a-lés montada numa bicicleta: https://forum.motorguia.net/road-book/116461-subidas-bem-inclinadas-12.html#post1070303456

1 Like

Em relação à roda da frente levantar, é preciso inclinar para a frente para isso não acontecer. Já fiz subidas quase a bater com o queixo no guiador. :laughing:

1 Like

Usar a técnica do zig zag,se nao vier ninguem a descer,claro :wink:

É mais elaborado do que isso, a presença de tacos no pneu com uma pressão adequada garante a aderência em pavimentos de pedra. Não será um slick que te vai dar aderência em empedrados!

Concluindo: é para esquecer ir trabalhar por aí! :slight_smile:

Parece que alguém vai ter de pagar mts almoços…

Só disse que pagava à PRIMEIRA pessoa que EU VISSE a fazer. Estão lá as condições no outro fórum.

Já agora, isso é o Strava, certo? Dá para ver em que sentido foi? E eu, que não uso, será que consigo ver não estando registado?

Sim é no Strava. O segmento foi criado no Strava e é a subir, pois a percentagem média de inclinação do segmento é positiva.

Ps: Parece uma boa parede, mas é curta. Basta explosão e faz-se. Já fiz bem pior, acredite.

Deixo-lhe só um exemplo do que poderá encontrar para os lados do concelho de Alenquer.

Isto já não se enquadra no transporte urbano, mas sim no ciclismo desportivo! A não ser que seja com uma eléctrica!

Só porque o percurso está a ser gravado com o recurso a GPS enquanto pedala? Ou está a referir-se à “aposta/desafio”? :slight_smile: